Coronas Temple

Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Hypnos em Dom Ago 09, 2015 9:04 pm

Muspelheim, reino do fogo, um dos 9 reinos de Odin, senhor de Asgard; Ao extremo norte da Europa. Em um dos enormes templos que residiam em volta a enormes vulcões e rios de lava incandecente, residia o soberano deste reino, Sultur.



Sultur estava inquieto, parecendo um pouco apreensivo também. Dava a impressão que estava esperando por alguém mais em seu templo, quando ouve sons de pesados passos se aproximando, sobre a luz alaranjada apenas dava para ver uma silhueta.





Sultur: Então finalmente chegou não é, Fafnir de Nidhogg? Está atrasado... [Bufafa impacientemente]



Fafnir: Perdoe a demora meu senhor, mas recebi novas ordens de vossa divindade, ele ordena que iniciemos o ataque agora!



Sultur: Agora? Mas o que diabos ele está planejando?? [Pensativo, encarava Fafnir que detinha um estranho brilho maligno no olhar]



Sultur: Muito bem! Guerreiros Deuses, apareçam!!! Chegou a hora



Tão rapidamente Sultur aumentava seu cosmo, invocando os Guerreiros Deuses, diversas sombras começavam a surgir no Templo e se ajoelharem diante dele.



Sultur: Guerreiros Deuses que se reunem perante mim, nosso Deus ordenou nossa missão. Irei abrir uma breve passagem para que vocês se encaminhem a Asgard e dessa forma, destruam os Guerreiros Deuses impostores que habitam lá, e peguem suas Safiras de Odin.





Juntas, as 7 Safiras, podem invocar como sabem, a Armadura de Odin, mas, mais que isso, elas tem o poder para romper o selo e libertar nosso Deus definitamente.



Frodi: E assim iremos finalmente assumir nosso lugar de direito e poder controlar e reger esse mundo vil e impuro!! [Fala interrompendo, Sultur, que se irrita profundamente]



Sigmund: Cale-se Frodi!! Não deve interromper nosso senhor, está sendo inconveniente.






Sultur: Calem-se todos vocês, agora se preparem para ir. Irei abrir a passagem!

Sultur eleva seu cosmo, revelando um poder magnifico que deixa os Guerreiros Deuses espantados, suando frio. Até mesmo Fafnir fica receoso em ver o verdadeiro poder de Sultur.

Uma onda de cosmo sobe aos céus e começa a distorcer o tecido espacial, provocando uma abertura ate Asgard.



Sultur: Agora vão!! Destruam tudo!! Não tenham piedade!! E me tragam as 07 Safiras de Odin, ou eu apresentarei suas cabeças imundas como divertimento a nosso Deus.

Os Guerreiros Deuses se entreolham, elevam seus cosmos e saltam em direção a emanação de cosmos de Sultur, sendo instantaneamente levados até Asgard.

Asgard -

No Palácio Vallhala Siegfried e Hilda estavam juntos no salão principal, conversavam animadamente. Siegfried conseguiu ter seu amor por Hilda retribuído, e agora os dois regiam Asgard. Sendo a relação abençoada por Odin, que fazia florescer espécies raras nos jardins do palácio.



Siegfried: Divina Hilda, nem acredito que estamos vivendo esses momentos de paz em Asgard; Parece tão surreal. E veja com as colheitas estão ótimas!!






Hilda: Sim, Odin se mantém benevolente a nós Siegfried. Nosso povo está feliz e a miséria finalmente nos abandonou. Eu nem acredito que estamos vivendo tempos como estes, Siegfried!!


Quando repentinamente, não mais que de repente..... diversos cosmos invadem as terras sagradas de Asgard, vários ataques ocorrem simultaneamente, pessoas são mortas impiedosamente, animais, fazendas destruídas, nada é poupado. O Gelo puro começa a ser tingido de vermelho. Gritos de horror e agonia podem ser ouvidos ao longe.

Alberich que estava nas masmorras de Vallhala com alguns pobres diabos, que haviam sido capturados dias antes nos arredores do Palácio. Tinham a feição bem morena, quase como mouros, e Alberich divertia-se sadicamente, torturando os infelizes, quando percebe os cosmos e ouve os gritos de agonia ressoando.


Com o olhar completamente psicótico, ele solta um sorriso sarcástico de canto de boca, e desliza a lingua por entre os lábios, como se saborear-se o som da morte.






Fafnir: Ótimo!!! Boas aquisições para minhas pesquisas, serão cobaias excelentes!!!! Hhihihihehehehehahahahahaha






Frodi: Atenham-se as ordens do senhor Sultur, não se dispersem muito e evitem distrações triviais. Nosso objetivo e encontrar aqueles ratos covardes dos Guerreiros Deuses de Odin, portanto, vamos atrair os insetos nojentos para nós.




Surt: Pfzz...eu sou mais criarmos emboscadas para aqueles vermes!! Não sou o tipo "barulhento" como Hércules; Se me dão licença vou caçar alguns ratos em outro lugar!!



Hilda: Siegfried, reuna todos os 07 Guerreiros Deuses aqui imediatamente!!! Nosso povo e nossa terra se encontra em forte perigo e ameaça.



Siegfried: Sim, divina Hilda, imediatamente!! [Siegfried dá um leve beijo em Hilda, e sai em disparado, para convocar seus colegas]






Nossa realidade, tempo presente!! [Sim infelizes que estão lendo, esta realidade a que pertecem!!!]



Santa Catarina - Blumenau - 12h e 30min

R.B: Estou saindo para almoçar tio, quando voltar eu termino de digitar esses processos e continuo verificando o andamento daquele processo por lesão corporal. Parece que o senhor Bianchini está impaciente!

R.B. então pega seu Iphone 6S Plus, coloca no bolso da calça, abre a gaveta de sua mesa, coleta sua carteira e Ipad e as chaves do seu Miura, olha para seu braço esquerdo e vê algumas informações no seu Iwatch e sai calmamente do escritório, se dirigindo a mais um almoço tedioso e pacato. Quando...sente uma sensação esquisita, sua barriga se contorce, sente frio imenso, e passa a ter a sensação que o tempo parou ao seu redor.


R.B: Mas que diabos?? E aahhh...



R.B. então sente um forte feixe de energia que o começa a fazer levitar e a puxar em direção aos céus cada vez mais rapidamente, ele começa a gritar em pânico e desespero, quando perde os sentidos;

Ao acordar, R.B. percebe algo diferente, estava consideravelmente mais magro, mas sentia que tinha algo errado. Ele nota que estava caído ao chão, se levanta e nota que estava em uma masmorra. Havia diversos corpos e sangue por todos os lados. Ele caminha em direção a uma janela, se desviando de membros decepados dos corpos que jaziam ali, e nota no vidro que o reflexo não era dele, e sim de outro que ele reconhece instantaneamente!! Alberich de Megrez Delta.



R.B: Não pode ser!! Devo estar sonhando.....o reflexo que vejo é..é....de Alberich....como pode ser possível??

E dessa mesma forma, outros 7 indivíduos, são igualmente tragados de outra realidade para Asgard de diversos lugares do Huezil, Huezileiro.

- Minas Gerais
- Rio de Janeiro
- São Paulo
- Rio Grande do Sul
- Santa Catarina
- Ceará

W.C. nosso mineirinho, desperta em meio uma caverna, percebe que estava quente, e sente que havia diversos animais em volta dele. Ele olha atonito, e pensa que são cachorros, fica confuso de como fora parar ali;Pensando que pudessem te-lo drogado e posto ali em algum tipo de trote bizarro, ele se levanta e observa melhor,ve que não eram cachorros e sim lobos!!!
Ele nota que as mãos não eram deles, e sim de outro. Levanta desesperado e busca algo para ver seu reflexo, quando nota uma imensa coluna de gelo polido quase na saída da caverna.






W.C.: Mas....mas.....este é o .....Fenrir !!!!Como pode ser possível?? Devo estar louco....não acredito nisso;

Em outra parte de Asgard, em uma enorme mansão...de uma suíte master, despertava o gaúcho I.P. que logo nota que algo havia acontecido e da mesma forma, algo estava errado.

Ao caminhar sobre um lindo carpete extremamente macio e cheiroso, nota que estava em um imenso quarto, tão grande quanto 1 casa comum inteira. Havia imensas pilastras de mármore branco, móveis que se via eram feitos de madeiras nobres, uma enorme lareira acessa, e muita riqueza mesmo. I.P. caminha lentamente em direção de uma penteadeira com detalhes em ouro e um enorme espelho, ao qual vê o seguinte reflexo:



I.P: Hmnnn......interessante!!!

Na suíte real do Palácio Vallhala, um dos cariocas F. igualmente desperta, sentia-se tonto e via as coisas ligeiramente borradas. Mas sentava-se na enorme e macia cama, com lençóis de seda, havia muito luxo naquele quarto, enormes paredes de cristais, um imenso lustre com ornamentos em diamantes e rubis; Pilastras enormes com ricos detalhes em ouro e prata. Ele percebe a imensidão daquele cômodo e sente um leve receio, se pergunta o que estava fazendo ali e tentava entender o que estava acontecendo, quando ve em enormes vidraças a frente, seu reflexo:



F: Mas....impressionante...eu..sou o Siegfried?? Mas....como pode ser?? [Pensativo]

Hilda adentra os aposentos reais, e vê Siegfried/F. em pé na varanda, olhando paras terras gélidas de Asgard, pensativo. Hilda se aproxima do mesmo e o abraça carinhosamente (Hue What a Face bounce )




Hilda: Siegfried, sei que a situação é por demais preocupante, mas sinto que está tenso com alguma coisa, o que aconteceu? Pode se abrir comigo meu querido.

F. tão acostumado a ser rejeitado por moileres, não consegue mais pensar em nada e suas preocupações parecem ter desaparecido instantaneamente. Ele então, aproveita o momento de ternura que recebia de Hilda, e a abraça apertado, sentindo seu jovem corpo bounce bounce bounce


Indo para outro ponto de Asgard, em uma casa relativamente grande, se encontra G.M. nosso catarinense ele estava caido em uma sala cheia de cabeças de animais empalhadas, e alguns troféus. A casa era de um dos maiores Guerreiros de Asgard, Folken!!

G.M.: Hmmm....minha cabeça....mas que foi que houve?? Que cheiro é esse?? Parece carvalho, cedro.... [G.M. olha ao redor, e nota a sala estranhamente decorada, ele se levanta e...]

G.M.: Não estou mais na Uni, na minha aula de Código de Processo Penal....mas onde vim parar??

Se aproxima de um pequeno espelho em uma escrivaninha, que tinha pedaços de madeira, que dava para notar iriam dar forma a uma harpa.



G.M.: Não pode ser!!! Isso é virtualmente impossível...deve ter sido alguma droga que me injetaram.....

Partindo agora rumo a uma floresta petrificada, H.H. nosso querido 88 Gaúcho chê, estava caído de bruços (uiii) rabbit rabbit  e havia uma barraca do tipo acampamento a sua frente. H.H. nota que havia uma quantidade considerável de neve caída por cima dele, ele se levanta, tirando a neve de cima. Um pouco desnorteado, ele entra na barra, pois tinha uma impressão que era sua;
Havia um veado morto lá dentro, parcialmente comido (uiii) e uma faca cravada no corpo, H.H. recolhe a faca e vislumbra o reflexo da lamina:



H.H: Essa poha deve ser coisa do R.B. aquele maldito....e....[pensativo]


H.H: Cadê meus ursinhos??




Em uma taberna, deitado sobre uma mesa, dormindo profundamente, um enorme corpo jazia o carioca R.R. que ergue a cabeça e nota vários homens bebendo e rindo.



Mas estes, não se pareciam com os habituais de sua terra. Tinham aparência nórdica, como guerreiros vikings....R.R. pega uma garrafa que estava ao seu lado e vê.....




R.R: Oh Merda!! Este é....Thor Phecda Gama!! Mas....mas.....[engolia a seco, sentia algo descer quadrado em sua garganta]

R.R: Será que bebi demais da conta dessa vez?? O que será que esta acontecendo? Porque eu Gsuix??



Todos os Guerreiros Deuses então recebem o chamado para se juntarem a Hilda, no Salão Principal, pois uma enorme ameaça pairava sobre Asgard. Todos aos mesmo tempo, notam então um forte clarão de luz, por demais ofuscante. E após isso notam as sagradas Armaduras dos Deuses, paradas a sua frente.





















Algum tempo depois, não mais que se passados, 20min, os 07 Guerreiros Deuses se encontram reunidos com Hilda, que é na terra a representante de Odin, Deus de Asgard, no norte da Europa. Protegido com as armaduras dos Deuses, eles juraram defender Asgard contra todas as forças impuras que pudessem ameaçar a paz.

NOTA: [Para encerrar este post, continuarei com os demais que faltaram no seguinte]

============================================================================================================================================================================================================

Observações:

1- Depois complemento o post com mais detalhes como sempre fiz. Vou reler com calma e ir acrescentando ou modificando.

2- Colocarei imagens depois, mas percebi que é preciso criar um banco de imagens, vou tirando screens dos DVDs e pondo em algum lugar, ainda não sei qual. As imagens que peguei na net, são muito podres, vou salvar screens e substituir. Deixar o post bonito.



3- Vocês podem ir fazendo os posts baseado nesta introdução, sobre os vilões, todos podem controlar. Não é mais como antes, que um controlava um vilão o tempo todo.

4- Apenas estes vilões, sem mais. Guerreiros Deuses de Suor de Gordo, Sultur e Loki. E SÓ!!!

5- Como mostrado no plot e aqui, interajam como se vivessem a situação em que pus vocês. Ou seja, suas mentalidades dentro dos corpos dos Guerreiros Deuses em questão. Hajam naturalmente mesmo, sem exageros.

6- Um pedido especial, como é um jogo/aventura, seria interessante se durante a execução do mesmo, todos deixassem de avatares, os Guerreiros Deuses a qual pertecem (uiii), poha, ficaria do caraleooo


Última edição por Hypnos em Dom Ago 30, 2015 10:53 pm, editado 3 vez(es)
avatar
Hypnos
Fundador sonolento
Fundador sonolento

Mensagens : 2078
Cosmos : 1005754
Data de inscrição : 20/12/2012

Ver perfil do usuário http://coronas.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Pujol em Qua Ago 12, 2015 10:19 am

Pujol percebe que estava na pele de Shido de Mizar, dessa forma ele começa a se portar como o mesmo, tocando o robe divino que estava a sua frente, que gera uma pequena luz ao se desmontar e cobrir o corpo do guerreiro.



Interessante... Posso sentir o que acontece com este corpo e o poder que ele emana.

Falava consigo mesmo enquanto saia do quarto, indo em direção a cozinha da mansão.



Vou comer alguma coisa antes de ir ao palácio Valhalla, alguém está convocando meu cosmo. Falava tranquilamente, enquanto adentrava na cozinha.

Os empregados da mansão estavam de folga, ao menos era isso que parecia, já que havia uma pequena carta na frente da geladeira, nesse momento fui em direção aos balcões aéreos, abrindo a porta de um e encontrando uma caixa de chá, logo fui preparar o mesmo, junto a uns pedaços de pão, carne e uma caixa de leite, que estavam na geladeira.

Passados alguns minutos, já havia guardado o que sobrará, bem como limpado a pequena bagunça e me dirigi a porta de saída do local, trajado e pronto para o que viria a acontecer.



Vamos ver que bosta está acontecendo aqui.

Falava enquanto partia em direção ao palácio Valhalla, que ficava algumas centenas de metros da mansão.
avatar
Pujol
CEO Empalador
CEO Empalador

Mensagens : 1243
Cosmos : 20005826
Data de inscrição : 16/02/2013
Idade : 24
Localização : 4ª Esfera: Giudecca

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Aiacos em Qua Ago 12, 2015 3:37 pm

=========================================

"Enquanto isso, nas terras gélidas de Asgard, no extremo norte da Europa..."




"Uma guerra estava prestes a começar. Porém, algo muito estranho havia acontecido. Pessoas comuns, de alma simples, que em nada tinham a ver com o fantástico mundo dos guerreiros deuses e a tudo que ele é atrelado, foram convocadas para a luta, do nada, sendo removidas de suas vidas normais."



"Um universo diferente de tudo que nós conhecemos...aonde existem guerreiros poderosos, cujas habilidades desafiam a própria física. Com os seus punhos, são capazes de rasgar os céus, e com os seus pés, de abrir fendas na terra."



"Nesse exato momento, em uma masmorra, alguma coisa estava acontecendo..."



- Não pode ser...isso é impossível..."Observava atentamente seu reflexo no espelho. Em seguida, esfrega seus olhos intensamente, com a vã esperança de que, ao abri-los, iria despertar na cama, se livrando de um estranho sonho."



- Não...isso é real...é tudo real!! "Desliza suas mãos pelas pernas, abdômen e tronco." - Mas o que está acontecendo aqui? "Se questiona, enquanto se afasta da cela aonde estava, passando pela porta, que estava estourada."




- Oh merda!! Eu tenho prazo para cumprir!! "Eis que me lembro de um compromisso fatídico!"


"O jovem tira um celular do bolso, e tenta ligar para o escritório de advocacia. Porém todas as suas tentativas de contatar o mundo exterior falham miseravelmente, uma atrás da outra. O seu iPhone estava fora de área, e qualquer ligação falhava."



- Merda...eu não consigo contatar o Jandir! Meu tio vai me matar! "Fiquei bem tenso, diante desse problema terrível." - Eu estou muito longe...nem sei direito aonde fica Asgard..."Pensativo, tento lembrar, em minhas pesquisas relacionadas ao universo Saint Seiya, a localização de Asgard no mapa europeu, e ao mesmo tempo, observo a minha carteira, contando os meus trocados, e pensando no tempo que levaria para retornar até o meu país natal."




"Então, de repente, algo passou a ecoar pela minha cabeça...era uma espécie de sussurro...para mim, aquilo foi estranho, pois até então, nunca havia escutado tão bem em toda a minha vida."




"Indo em direção ao sussurro que lhe chamava, eis que o jovem se depara com a armadura de Megrez, que estava na última cela da masmorra, bem ao fundo, numa área em que a luz das tochas acessas não alcançavam."




- Isso é...incrível..."Observava a armadura, enquanto deslizava a minha mão por ela. Seu brilho esverdeado havia me hipnotizado."



- Hahaha...isso vai ser sensacional..."Comecei a gargalhar, ao relembrar os poderes dos guerreiros deuses na segunda temporada de Saint Seiya, na fase de Asgard. Estava ficando cada vez mais ansioso para testar os meus poderes."





- Muito bem! Armadura de Megrez, da estrela Delta! Venha até mim!! "Grito empolgado, enquanto gesticulo freneticamente para a armadura que estava logo à minha frente."



"Porém nada acontece, a armadura permanece no mesmo local, imóvel"




- Que se foda..."Começo a resmungar enquanto visto a armadura por meios manuais, à moda antiga."
===================================

_________________
"Let´s dance!"


avatar
Aiacos
Berseker
Berseker

Mensagens : 1477
Cosmos : 20008823
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Malakh em Qui Ago 13, 2015 1:00 pm






Do lado de fora do Palácio Valhala me encontro pensativo, minha expressão serena dos últimos minutos escondia uma grande perturbação interior, a confusão e o desespero tomavam conta de minha mente diante de tal situação inesperada.





Mas logo o caos dá espaço a compreensão dos fatos e percebo que possuo agora um grande potencial a ser explorado.


- Sinto que este corpo detém um enorme poder, deve ser este o dito Cosmo, existe realmente! - exclamo.





- Se possuo as habilidades do Guerreiro Deus de Benetnasch, então talvez seja capaz de usar esta harpa, sua arma característica, para canalizar meu poderoso cosmo. - penso analisando a harpa que havia encontrado na casa em que surgi anteriormente.





Ponho-me a tocar a harpa e uma suave melodia ressoa aos gélidos ventos de Asgard, como se tal instrumento tivesse estado em minha posse por uma vida inteira, tamanha a competência em seu manuseio.





A natureza local aparenta ser atraída pela melodia, um grupo de aves voam por perto.


Ao encarar tais aves, toco a harpa de tal maneira que consigo manipulá-las e logo seus movimentos se harmonizam com as notas, numa total sincronia.





- Com este poder magnífico serei capaz de feitos incríveis que me proporcionarão alcançar todos os meus objetivos mais utópicos!



 


- E qualquer um que se puser no meu caminho será absolutamente aniquilado!





As notas emitidas pela harpa mudam repentinamente e a melodia fica mais sinistra. Logo as aves começam a cair mortas do céu.







- Eu sou... Mime de Benetnasch!





Última edição por Malakh em Qui Ago 13, 2015 2:00 pm, editado 1 vez(es)
avatar
Malakh
Garanhão Coronas
Garanhão Coronas

Mensagens : 423
Cosmos : 1330
Data de inscrição : 28/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Pujol em Qui Ago 13, 2015 1:31 pm

Após sair da mansão pude notar que o vento estava a meu favor.



Sequer sinto o frio desta terra... E pela sensação que possuo... Talvez consiga algo.

Falei comigo enquanto colocava minha mão para frente e mexia um pouco os dedos, conseguia sentir cada célula do meu corpo e mandar sua energia para minha mão, naquele instante pude ver o que antes não notei.



Quando disse os ventos estão ao meu favor, não pensei que fosse literalmente...

Continuei caminhando pensando comigo um pouco do universo de saint seiya, em especifico a saga de asgard e logo me veio algo a mente.



Mizar possui uma estrela gêmea, Alkor, no caso eu me tornei Shido de Mizar, então ele deve ter virado Alkor e deve estar por detrás de alguma arvore.

Pensei rapidamente em um modo de tirar essa duvida e logo exclamei em bom tom.



Aiacos Homossexual.

Por detrás das arvores pude notar uma risada, logo sabia de quem era, dessa forma notei que os guerreiros deuses eram reais, e iguais a história do cachaceiro, logo voltei minha atenção a minha mão que ainda estava gerando um ar mais frio que o de Asgard.



Algo aconteceu, e provavelmente todos nós fomos trazidos aqui... Essa é minha grande chance... Saia das sombras Henrique, temos que conversar cotista.

Falava com calma, enquanto uma sombra se revelava por entre as arvores, com uma armadura com o mesmo formato da de Pujol.
avatar
Pujol
CEO Empalador
CEO Empalador

Mensagens : 1243
Cosmos : 20005826
Data de inscrição : 16/02/2013
Idade : 24
Localização : 4ª Esfera: Giudecca

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Myu de Papillon em Qui Ago 13, 2015 4:20 pm

"Enquanto isso, nas proximidades da Floresta Amaldiçoada de Asgard..."

Saia das sombras, Henrique! Temos que conversar, ô cotista!

Fale o que quer de onde está, Puja.

Vai sair daí de boa ou quer que eu te arranque à força?

Continua o mesmo ameaçador de sempre...

Tudo bem, vou sair só porque não estou a fim de lutar por ora.

E além de tudo és meu amigo. (Henrique se encaminha em direção de Pujol)

Fala encosto, o quê queres?

Como imaginava, você é Alkor... Henrique de Alkor.

Mas, perae. Cadê a sua safira de Odin?

Como pode ver, em uma terra dessas, acharia que o pobretão aqui receberia uma safira?

Hahahaha, se fode aí então, Kenny! (Puja ri da situação do seu amigo, que fora sacaneado, afinal, é o único que não possui safira)

Palhaço, isso não tem graça.

Ok. Parei por enquanto, hehe (Puja para de rir, mas mesmo assim por momentos esboça leves risadas)


Henrique, pelo menos você pode se alegrar de ter trazido consigo seu celular e o fone de ouvido.

Realmente, essa é a única coisa positiva que tenho comigo.

A propósito, o quê tu tava ouvindo aí? (Puja percebe que Henrique esqueceu de desligar o player de música)

Ah, era isso aqui: https://www.youtube.com/watch?v=8mGBaXPlri8

Que música mais gay, Henrique.

Gay nada cara, até que é legal.

É, é audível.

"Enquanto a conversa entre ambos prossegue, duas sombras surgem na sacada do Palácio de Valhalla, chamando a atenção de Puja. Henrique se esconde nas sombras novamente, enquanto segue conversando com o amigo pelo cosmo"

Observe aquilo.

O quê?

Quem é aquela garota?

Hilda, nossa comandante.

Quem disse que ela é minha comandante?

Como é, Henrique?

Nada não, esquece.

A outra sombra se revela, e observa Mizar parado fazendo aparentemente nada.

Então aquele é o líder dos Guerreiros Deuses, Dubhe... (Puja o observa)

Escute, Desocupado! Saia de onde está e se dirija até o Palácio de Valhalla imediatamente! (Dubhe dirige palavras ríspidas ordenando Puja a se dirigir para o palácio)

Esta é uma ordem, entendeu!? (Ele continua a gritar, com o dedo em riste)

Mexa-se, e venha para cá! (Dubhe se retira da sacada, em seguida Henrique sai das sombras e volta a conversar normalmente com Puja)

Pera, mas aquele cara ali.... (Henrique pensava quem era ao observar Dubhe )

...não vai dizer que ele é o nosso líder? (Henrique se surpreende com o que descobre, e dá uma leve risada)

Ah, é? (Puja consegue identificá-lo após Henrique o lembrar quem era que estava por baixo da Robe divina de Dubhe)

Ambos se olham....

...e caem na risada ao perceberem quem era o líder.

Não provoque Henrique, lembre-se de que ele é tido como invencível, que não possui pontos fracos.

Para, Puja. Mesmo sem safira acabo com ele.

E digo mais, até mesmo sem armadura faço o Michelin ali deitar. Hahaha

E outra, ele tem um ponto fraco muito do exposto.

Que ponto fraco exposto?

Feche os olhos e pense no que o faria perder as estribeiras.

(Puja reflete por uns instantes)

Realmente, é plausível a sua teoria.

Mas, agora me diga uma coisa.

Para onde você irá agora?

Não pretendo ir ao Palácio de Valhalla, irei para onde o vento me levar.

Mas antes, preciso ir até um local resolver assuntos pendentes.

Que local?

A prisão de Asgard: As masmorras.

Irá até lá?

Sim.

Hã! (Henrique abruptamente observa o céu, uma estrela cadente surge).

Parece que chegou mais algum Guerreiro Deus por aqui.

Henrique, antes de partir, quero lhe perguntar mais uma coisa.

Sabes de que, mesmo tirando sarro dela, tens de obedecer Hilda, não é?

Olhe minha cara e veja se eu a defenderei.

Ambos se encaram friamente.

Compreendo. (Puja entende o recado que Henrique passou somente pela expressão facial irônica)

E quanto a você, Pujol?

Até onde eu ache necessário, sim.

Certo. (Henrique sorri)

Bom, vou indo para as masmorras, te vejo alguma hora.

Não se surpreenda caso me veja com alguma safira em minha posse.

Como é? (Puja pergunta surpreso pelo que Henrique disse).

Nada, Puja. Nada.

Hahahahahahahaha!!!! (Henrique se retira do Local)

"Alguns metros adiante, Henrique observa aquele ao qual pressentiu chegando em Asgard"

Então ele também está aqui....

....Isso está ficando cada vez mais interessante.

Fim.


Última edição por Griffon no Henrique em Sex Ago 14, 2015 1:55 am, editado 1 vez(es)

_________________
avatar
Myu de Papillon
Viadagem não especificada
Viadagem não especificada

Mensagens : 891
Cosmos : 11005830
Data de inscrição : 06/01/2013
Idade : 25
Localização : No seu kokoro S2

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Hiramaru em Qui Ago 13, 2015 5:32 pm

Uhuuuuuu mais que velocidade do caraio. um guerreiro deus corre pelas terras geladas de asgard.


É realmente incrível ser o GD mais rápido. Que poder...




Mas como acabei assim. Reflete após aproveitar seu poder correndo por ai.


Bom menino... acaricia um dos lobos. Apesar de esta nesse frio eu não sinto nada. Pra falar a verdade me sinto otimo. 

Será que os outros também estão por aqui?

E mais importante...




Você ai escondido... é um conhecido ou inimigo?



Não sejá timido, sei que esta ai afinal tenho um bom nariz. 



_________________
avatar
Hiramaru

Mensagens : 1175
Cosmos : 1006020
Data de inscrição : 14/02/2013
Idade : 24
Localização : Santuario

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Hypnos em Qui Ago 13, 2015 10:06 pm

Hilda após ficar alguns minutos abraçada com Siegfried, o chama para acompanha-la para as áreas externas do Palácio, onde ela falaria aos Guerreiros Deuses; Siegfried, com um leve sorriso no rosto, avisa que já vai e que é para Hilda ir na frente.

E assim, a Princesa Hilda deixa os aposentos lentamente,trajando suas vestes reais de Valquiria, se dirigindo aos pátios.

Siegfried fica sozinho no quarto, este senta na cama e se põe a pensar; Gostaria de pensar em mais coisas, principalmente sobre tudo que estava acontecendo.

F. sabia que tinha sonhos estranhos as vezes e muito reais, mas nunca desse tipo. Em seu coração ele sentia que não era um sonho. Sabia que tudo aquilo estava acontecendo realmente.



Siegfried se levanta e caminha para a varanda, onde sua Armadura de Dubhe estava, ele toca gentilmente em um dos elmos, e os olhos imediatamente reluzem vermelho, a robe se monta sobre o corpo de Siegfried e este sente o poder da mesma.



- Interessante!! realmente não é um sonho. Eu sinto esta armadura, sinto seu peso, contato com meu corpo e seu poder!!



Olho para a janela em um forte impulso, me espantava com o salto pois era alto, rápido, me sentia muito bem!! Então com um sorrisinho sarcástico no rosto, me concentro no cosmo e logo começo a queima-lo e disparo uma poderosa rajada conta uma montanha, abrindo um buraco nas rochas com um forte clarão.



- Hahahahahahaha, isso é genial!! Eu nunca pensei que fosse assim!! Muito bem, hora de agir como Siegfried.



Paro um pouco antes de chegar no pátio, havia vindo correndo e saltando a uma velocidade espantosa, estava testando minhas capacidades e me divertia com isso ao mesmo tempo.

Quanto mais me aproximo, mais percebo alguns Guerreiros Deuses já presentes, entre eles Alberich de Megrez, Shido de Mizar e sua sombra Bado de Arkor, havia também Mime de Benetnasch que estava sentando em uma mureta, parecia distante, como se não estivesse ligando para o que viria a acontecer.



Siegfried percebe Shido e Bado conversando animadamente, e percebe olhares maliciosos de Bado seguido de risadinhas.



- Pfzz....aquele idiota...acha que pode ficar me encarando como se quisesse me matar e sonhando que irá me vencer....



- Vou mostrar a ele....hahahaha [Pensativo]

Uso meu cosmo e me movimento rapidamente a velocidade da luz, chegando sorrateiramente atrás de Bado, sem que este note minha presença ou chegada.




Aproximo um pouco dele e digo:- Imbecil, então pensa que pode me derrotar não é mesmo?? Eu reconheço esses olhares, sei muito bem o que significam.



Coloco minha mão em sua ombreira direita por um breve momento e retiro, Bado ficara visivelmente atordoado por se pego de surpresa. Já Shido havia conseguido perceber minha chegada e se divertia com tudo isso.



Volto para onde Hilda iria se apresentar, e fico curvado ao chão esperando minha Princesa e observando Bado, rindo baixinho comigo mesmo.



Bado: Aquele asqueroso.....quem ele pensa que é?? Posso acabar com ele aqui mesmo e rapidament...MAS QUE DIABOS??



Algo chama a atenção de Bado repentinamente, ele volta sua atenção para a ombreira que Siegfried havia posto a mão por um momento, e nota que a mesma estava toda trincada.



Bado: Mas....mas....quando foi que ele fez isso? Eu não posso crer.... [vociferava atonito]



Shido: Hahahahahahahahahahahaha, se fudeu hein "maninho" hahahahahaha [Shido gargalhava freneticamente, chegava se contorcer, tamanho a força das gargalhadas]



Bado: Não vejo graça alguma.....affff [Se emburrava, ficando muito irado, cruzando os braços, agora com uma ombreira trincada]



Shido: "Maninho" pega leve....pelo que percebi, Manigold como Siegfried tem um poder extraordinário, sinto que ele poderia liquidá-lo em um piscar de olhos se quisesse.

Porém entre os risos frenéticos que acabam chamando a atenção de Mime, que se distraia vendo um grupo de moileres caminhando para um pequeno templo, quase como uma capela. Shido pensa consigo:



[Pensamento Shido: É incrivel....como Mani pode deter tanto poder assim?? É absurdo o cosmo que sinto vindo dele, é quase como.....não, não pode ser...[[sacudia a cabeça, deixando um suor escorrer pelo mesmo]



do: Mani [color=#ffffff]conseguiu ampliar seus poderes em tão ínfimo tempo?? Mas......se for assim...as capacidades desse homem, não teriam limites...]

Siegfried então se faz notar;






- Guerreiros Deuses, se apresentem!! Não sei quem é quem de vocês....para quem não sabe, eu sou...ou fui...Manigold, e vocês??

Hilda esperava pela chegada dos demais Guerreiros Deuses

_________________
avatar
Hypnos
Fundador sonolento
Fundador sonolento

Mensagens : 2078
Cosmos : 1005754
Data de inscrição : 20/12/2012

Ver perfil do usuário http://coronas.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Pujol em Sex Ago 14, 2015 12:17 am

Logo após a fala de Siegfried, Shido começa a gargalhar de uma forma tão forte que soa estranho ao guerreiro Deus que estava a sua frente.



Algo de errado?

Falava firmemente.



Além dessa demonstração de fraqueza, nada mesmo.

A resposta de Shido era rápida e inconveniente para o guerreiro Deus de Dubhe, este por sua vez se vira para o mesmo e desfere um golpe contra Shido que por sua vez o apara com uma mão com facilidade surpreendendo o atacante.



Como, eu devia ser o mais forte?


Falava rapidamente, porém Shido o arremessa pelo braço de volta ao local que Manigold estava.



Cara sou eu o Pujol... Tu penso realmente que conseguiria me vencer com menos de dois minutos de treino? Não seja palhaço, não é só por que estás nesse corpo que tem um grande poder.


Respondia rigidamente, enquanto começa a gargalhar, nessa altura Manigold olhava para seus punhos, buscando visualmente onde estava o poder que manifestará na sacada.





Vou te explicar a situação de uma forma simples Manigold, você atacou uma pequena estátua de gelo que fiz de mim com uma armadura branca, eu a fiz com meu cosmo congelante, ela se parece com Henrique por que somos gêmeos e você atacou isso achando que era ele... HAHAHAhaha e ainda tentou me atacar só por que conseguiu lançar uma rajada de cosmo em uma montanha? Tu está bem da cabeça? Desde que peguei esse corpo estou treinando o controle do cosmo e você só por conseguir manifestar ele me faz essa besteira! HAHAHAHAhaha...


Manigold olhava para direção de Pujol com raiva e logo respondia, enquanto Pujol quebrava a estátua com uma unha.





Desgraçado tu me fez fazer um papel de idiota! Eu te mato!

Antes que o mesmo pudesse falar, Pujol estava ao lado dele.



Se acalma dollyn, tu vai ter a chance de lutar comigo mais a frente, porém no momento tu está no nível do homossexual.

As palavras de Pujol eram como agulhas, que perfuravam fundo, Manigold rapidamente desfere um golpe contra Pujol, que se esquiva com um salto facilmente.



Você não aprende cara, se superestimar dessa forma é tolice, até por que você nem aprendeu a usar o Hack direito... Hahaha... Cara é muita ironia Sigfried não consegue sequer usar seu hack de invencibilidade direito.

Pujol segurava sua gargalhada por estar perante Hilda, a mesma porém nota a divergência entre os dois guerreiros Deuses e logo intervém ao notar que o segundo elmo da armadura de Dubhe estava congelado.



O que vocês estão fazendo lutando um com o outro? Não está claro que uma guerra irá começar?

Manigold com receio de entrar em conflito com a primeira mulher que lhe deu carinho na vida se ajoelha perante ela e pede desculpas.



Hilda meu amor, me desculpe, eu me exaltei.

Hilda acena com a cabeça e logo volta seu olhar para Mizar.



E você Shido?

Pujol também se ajoelha perante Hilda e responde a mesma.



Não pude perder esta piada de mal gosto, perdoe-me senhorita Hilda.




Falava de forma chula, causando certa estranheza a Hilda que conhecerá Shido como um grande amigo de Siegfried.



Sendo franco, a um segundo cheguei a pensar que Siegfried detinha grande poder, mas estava terrivelmente enganado.. Atacar um boneco de gelo de forma afoita, sem notar que ele era apenas um boneco de gelo é ruim, mal conseguir destruir o ombro da estátua é pior e ainda por cima não notar o que estava acontecendo... Isso é uma desgraça, não comento a tentativa de ataque dele por que a falha dele já era esperada..

Shido comentava para Hilda, demonstrando que estava a planejar suas ações antes de executar as mesmas, nesse momento Hilda pensava consigo sobre o que Shido havia falado sobre o poder de seu amado e logo responde ao mesmo.



Eu também notei isso, mas acredito que Siegfried esteja doente e por isso ele não consegue manifestar seu real poder.


Falava sem saber sobre a mudança de almas que ocorrerá com os guerreiros deuses.



Está certo senhorita Hilda, me aterei aos meus deveres como guerreiro Deus e não a lutas fáceis como está.

Falava com um tom irônico na ultima parte de sua frase, enquanto olhava Manigold que ainda estava ajoelhado e olhando para o chão, como se tivesse vergonha de seu ato na frente de Hilda.



Está bem... Não desperdicem energia lutando entre vocês, algo de ruim aconteceu a Asgard e precisamos reunir os outros.



Todos estamos nos adaptando a estes corpos rapidamente, estamos nos adaptando ao cosmo em si, mas ele pelo que noto terá muito trabalho enquanto se superestimar, ainda mais da forma como ele o faz.


Pensava consigo enquanto permanecia ajoelhado perante Hilda e treinando seu manuseio do cosmo com a mão direita.

Alguns minutos se passaram e por entre a porta principal surgiram três indivíduos.



Alioth, Alkor e Megrez... Vocês finalmente chegaram.

Hilda se surpreende ao ver Alkor entre os guerreiros Deuses, porém este começa a explicar a situação antes mesmo dela questionar.



Antes que falem algo, já vou avisando, a culpa de eu estar aqui e não nas sombras é do Shido que me viu lá fora, sendo assim não vejo por que ficar escondido.

Hilda acena com a cabeça em sinal de entendimento, Bado logo se ajoelha também, porém é contatado através do cosmo por Shido, que está com sua armadura intocada.



Cara, acredita que o gordo ali te confundiu com a estátua de gelo? Eu disse que ia dar certo.

Pujol começara a rir freneticamente por dentro, porém sem exibir qualquer alteração em sua fisionomia.
avatar
Pujol
CEO Empalador
CEO Empalador

Mensagens : 1243
Cosmos : 20005826
Data de inscrição : 16/02/2013
Idade : 24
Localização : 4ª Esfera: Giudecca

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Myu de Papillon em Sex Ago 14, 2015 12:56 am

"Enquanto isso, em um local distante do Palácio de Valhalla, chegando próximo das temidas masmorras, Henrique é surpreendido ao perceber que foi identificado pelo Guerreiro-Deus que ele observava"


Saia daí, inimigo!

Affs, pelo jeito não vou conseguir me esconder de alguém que possui o olfato mais aguçado dentre os Guerreiros-Deuses.

Você é....

...Henrique!

Olá, Hiramaru. Bom saber que está aqui também.


Não se preocupe, não sou seu inimigo.

Legal sua Robe, pelo jeito és Arkor.


Sim.


Mas, quem é Mizar então?

O Puja, ele resolveu seguir pro Palácio de Valhalla, vai ter uma reunião daqui a pouco por lá.


E você não vai?


Tô sem credencial pra entrar, cara.


Como assim "sem credencial"?

Preste atenção na diferença entre nossas Robes e verá


(Hira logo nota que a tal "credencial" a qual Henrique se referia era na verdade a Safira de Odin)


Ah, entendi. Hehehe (hira dá uma leve risada)

Agora fale sério, Henrique. Para onde irá agora?

Eu tô indo pra......... AI CARALHO! (Henrique sente uma forte fisgada em seu ombro, pondo sua mão no local da lesão muscular)

Ai caralho? Não conheço esse lugar, mas o nome é meio sugestivo, hein? Hahahahaha (Hira larga uma piada maliciosa, mesmo vendo que Henrique abruptamente interrompeu a conversa pela dor que sentiu)


Não tá vendo que eu falei isso por causa da fisgada no ombro, pô?


Eu sei, tô só zoando, kkkk


Mas o que deu com seu ombro, Henry?

Sei lá, uma sensação de que alguém me deu um beliscão daqueles...

Sabe que essa é a Floresta Amaldiçoada de Asgard, né? Pode ser um espírito simplesmente brincando com você.


Eu hein, isola cara.


Ok, já melhorei. Continuando com o que eu falava anteriormente, estou seguindo para as masmorras de Asgard.

As masmorras? O lugar mais perigoso daqui, tirando a floresta! Por quê tá indo lá.


Preciso encontrar uma pessoa, outro Guerreiro-Deus.

Quem?


Vou te dar uma dica.

Fale.

Hebraico.

Entendi, HAHAHAHAHAHA (Hira ri histericamente)


E então, quer ir junto pra lá?


Tudo bem, vai ser legal ver pessoalmente um companheiro.

Ok. Vamos então.


===================================================================


"Henrique e Hiramaru seguem em direção das masmorras, mas ao chegarem próximos da entrada, um cosmo começa a se comunicar com Henrique"


Ei, Henrique


Está me ouvindo?

Fale, Puja.


"Hira, como estava junto de Henrique, também ascende um pouco de seu cosmo, e escuta a conversa atentamente."


Sabe a hora em que você saiu daqui em disparada para dentro da floresta?


Sim.

Resolvi brincar um pouco e construí uma miragem sua, algo como uma estátua de gelo, que a distância parecia ser como você parado com cara de tacho.

Ah, seu desgraçado. - Henrique se emburra


KKKK, não sabe nem o que aconteceu depois...


O quê houve?

O Dubhe... ele escutou parte de nossas piadinhas sobre ele... deu um tempo depois de você sair e ele apareceu aqui.

Atacou a estátua com tudo, se achando o fodão, achando que tinha te atacado de verdade.

Ah, é?

...Então foi por isso que senti aquele beliscão no ombro aquela hora... (Henrique reflete)

Tinha que ver a cara de tacho dele quando viu que era uma miragem, hahahaha. Foi impagável!

Hahahaha, que tosco isso. Mas ele continua aí?


Não, foi embora.

Só entrei em contato contigo pra falar isso. KKKK flws (O contato cósmico de Puja com Henrique se desfaz)

KKKK que ridículo, hein? - Hira comenta com Henrique sobre o que ouviu


Você vê, né? É cada uma...

...Bom, está é a entrada das masmorras.

Posso sentir, o cheiro da morte.


Tem um cosmo fraco por ali.


Está fraco pois está distante, vamos entrar.


Sim!


==================================================================

"Henrique e Hiramaru avançam masmorra adentro, a cada cela que eles passam, eles vêem os corpos de muitos presos bizarramente mutilados, cadáveres,  e a cosmoenergia que antes era fraca, começa a ficar forte a medida em que avançam"

Eu não tô.... passando bem (Hira começa a ficar mal com tantos corpos espalhados por ali)


Segura as pontas aí, cara. Nem eu tô legal também. Vamos correr.


"Os dois resolvem acelerar, quando se aproximam das últimas celas da masmorra, uma sarcástica e doentia risada começa a criar eco no local"


É ele! Está por aqui!

Perfeição! Poder! Cosmo! Nem nos meus mais sórdidos sonhos imaginei estar realmente em Asgard! Isso é demais!


Ei, perae...

...O que você tá fazendo aqui, Hiramaru? - Megrez vê Hiramaru

Barouki? - Hiramaru o reconhece

Hã? O quê é isso?(Enquanto Barouki se assusta ao observar Hiramaru, enquanto isso Henrique o surpreende chegando por trás do mesmo e o ameaça com uma garra em sua garganta)

Responde rápido, cadê os ursos?

Como é que é? (Barouki se surpreende, tentando se virar pra ver quem era)

Não olha pra mim, porra! Cadê meus ursos, caralho?

Eu... não sei porra!


Sabe sim, tu me sacaneou e roubou aquele DVD.


Eu juro que não sei, cara. Para com essa palhaçada.


"Henrique, sentindo que o que Megrez falava era verdade, o solta"

Henrique? Então era tu que estava atrás de mim, seu gaúcho!

Xiu aê, o catarina.


Aliás, dá pra ver que virou Megrez, a estrela Delta.


Parabains.


Valeu, mas.... cadê tua safira?

Ah, esqueci, tu é só uma mera sombra, não tem direito de usá-la! Hahahahaha

Posso te matar aqui e pegar ela, duvida?


Sim.

Parem os dois com essa viadagem.


Não sei o propósito que nos fez vir até aqui, mas algo sério tá acontecendo lá fora.


Temos de investigar.

Pode ser que lá fora encontremos algum oponente.


Tá preparado, Barouki?

Bom, mesmo somente a algumas horas com essa Robe divina, sinto como se eu a usasse a anos, é incrível.

Tenho até a espada de fogo comigo, observe! (Barouki tenta empunhar a espada com autoridade, mas...)


Cara, solta isso ae, vai machucar alguém ainda.


AAAAHHHH (Barouki perde o equilíbrio, e a espada passa a centímetros do pescoço de Hiramaru)

Solta essa merda, cara! Olha o que tu quase fez! - Hira se desespera ao ver que foi quase morto acidentalmente


Tá, não faço mais.


É porque estou ansioso para lutar, demonstrar quem realmente sou! - Barouki se empolga

Vai finalmente mostrar que és um viadão de primeira? HAHAHAHA - Henrique logo ri.

Henrique, você me conhece... - Barouki demonstra uma expressão irônica, olhando fixamente para Alcor

...Sabes muito bem do que sou capaz. - Esboça um sorriso sádico

Lógico que sim! - Henrique também ri sadicamente, como se entendesse a mensagem

Vocês são estranhos pessoalmente, puta que pariu. - Hira reclama


Vamos sair daqui de uma vez em direção do Palácio de Valhalla, ver o quê está acontecendo.


Tudo bem, Hira. Vamos lá.


=======================================================================


"Os três saem da masmorra, em disparada na direção do Palácio de Valhalla, para a tão esprerada reunião".


Barouki, faça um favor a humanidade.... aponte essa espada de fogo pra baixo, tá? Vai acabar machucando a si mesmo ainda. - Henrique aconselha Megrez.


Cala boca, preto sem safira. 


Cês são fogo, hein?


Hahahahahahahaha!!! (As risadas tomam conta)

"Os três guerreiros partem rindo em direção do Palácio de Valhalla, o quê os aguarda por lá?"


Última edição por Griffon no Henrique em Sex Ago 14, 2015 1:42 am, editado 1 vez(es)

_________________
avatar
Myu de Papillon
Viadagem não especificada
Viadagem não especificada

Mensagens : 891
Cosmos : 11005830
Data de inscrição : 06/01/2013
Idade : 25
Localização : No seu kokoro S2

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Aiacos em Sex Ago 14, 2015 1:10 am

=====================================

"Enquanto isso, eu caminhava lentamente em direção à saída da masmorra. Estava feliz da vida, era uma sensação indescritível. Me sentia extremamente poderoso, leve e revitalizado. Não podia acreditar no que estava acontecendo."





"Porém, quando me aproximo, algo me chama a atenção. Ouço gritos e pedidos de ajuda, vindo do outro lado da masmorra, que era bem grande, cheia de antecâmaras e labirintos."



"Ao seguir o som, eu percebo que haviam vários prisioneiros dentro de uma jaula, alguns em estado deplorável, extremamente magros, doentes e cadavéricos. Porém haviam aqueles que estavam mais nutridos,e de aparência melhor, denunciando assim que eram prisioneiros mais novos, e que ainda não haviam sido submetidos ao sofrimento de uma vida reclusa e desumana."






- Hmmm...que cena deplorável. O que está acontecendo aqui?? "Me aproximo da jaula, e gesticulo para os prisioneiros, chamando-lhes a atenção."




- Por favor...não nos mate..."Exclama um dos prisioneiros, que vestia uma roupa maltrapilha, e se aproxima das grades da jaula."




- Acalme-se..."Tento conter o prisioneiro, que parecia bem abalado." Porque vocês estão presos aqui? "Questiono para todos, olhando-os em seus olhos, cada um."




- Porque? E ainda pergunta?? Você é idiota ou o quê?? "Um prisioneiro que aparentava ser mais jovem que os demais, audaciosamente me desafia, com um olhar misto de raiva e deboche."





- Ué...você também não pediu por socorro, seu idiota? "Enfurecido, saco a minha espada, e tento acertar um golpe na cabeça do prisioneiro, porém acabo errando, e corto uma parte das grades que formava a jaula. Porém tal abertura era pequena, insuficiente para que os prisioneiros fugissem. Mas mesmo assim, isso foi o suficiente para assustar os detentos."




- Wolfgang, cale-se. "Eis que um afrodescendente, sentado nos fundos da jaula, se levanta, e se aproxima das grades." Olha só, nós fomos presos porque desobedecemos ordens diretas dos soldados de Asgard, que ordenaram para que nós, civis, fornecêssemos tudo que fosse roupas, alimentos, madeiras, e entre outras coisas. "Emocionado, o afrodescendente chora freneticamente."






- Estranho...mas porque eles pediram isso?? "Estava sem entender o motivo disso tudo."





- Porque, ao que parece, acontecerá uma guerra em Asgard. Presenças hostis foram sentidas ao redor de nossas terras, e nos últimos dois dias, vários soldados rasos foram mortos. "O prisioneiro estava bem informado, o que espanta os outros companheiros de cela."




- Ok! Eu irei soltar vocês! Mas antes...me digam: vocês tem dinheiro? "Estendo a mão para os prisioneiros, gesticulando com os dedos pedindo um pagamento pela liberdade deles."



- Nossos pertences estão naquele local, dentro daquele armário ali. "Um ancião se aproxima das grades da jaula, e aponta na direção do escritório que havia dentro da masmorra."





"Então vou até o escritório, abro o armário e vasculho os pertences. Encontro algumas moedas de prata, dois anéis de ouro, uma corrente de prata, e algumas cédulas de dinheiro."




- Ok...isso basta..."Então guardo os pertences dentro dos bolsos de minha calça, e retorno para os prisioneiros. Em seguida, saco a minha espada, e me concentro no cadeado que trancava a jaula."



- Whoooa..."Grito com força, enquanto acerto o cadeado que trancava a jaula."




"E assim os prisioneiros saem em disparada, com todas as forças que ainda dispunham."



- Ah...só uma coisa..."Solto uma risada. Não sei bem o que houve, mas uma sensação tomou conta de mim. Fiquei em êxtase, ao notar o meu poder, quando destruí a jaula dos prisioneiros."



- Vocês pagaram apenas para sair da jaula...mas não pagaram o suficiente para saírem daqui vivos...hahaha! "Solto uma gargalhada, e corro feito maluco atrás dos prisioneiros com minha espada."



- Nãoooo!! "Os prisioneiros gritam desesperados."



"Um banho de sangue acontece no local."

"Aproximadamente vinte minutos depois, viria a me encontrar com Henrique e Weverson, e após uma pequena conversa, fomos em direção ao palácio Valhalla."

"Que porra está acontecendo aqui? Até agora não faço ideia do que está acontecendo por aqui, está tudo muito estranho. Espero que as coisas sejam esclarecidas nessa reunião com os demais guerreiros deuses."

=========================================================

_________________
"Let´s dance!"


avatar
Aiacos
Berseker
Berseker

Mensagens : 1477
Cosmos : 20008823
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Malakh em Sex Ago 14, 2015 7:12 pm

- Aparecer repentinamente em um mundo como este e no corpo de um estranho é de fato muito desesperador. No entanto não lamento ter deixado para trás as mesquinharias da vida comum, tão chata e repetitiva. - penso enquanto, sentado sobre uma mureta, toco a harpa com precisão.




"Logo entendi que a fim de extrair todo o potencial deste lugar, devo abandonar completamente minha humanidade e tudo o que dela advém, como o apego à minha própria identidade, meu nome, minha aparência ou até mesmo àqueles que conhecia."


"Preciso me tornar algo superior, atingir o ápice da existência e creio que esta guerra será minha apoteose!"





Barulhos de pancadas e gritos fazem-se ouvidos, dois soldados rasos lutam com seus punhos até a morte no centro de uma roda formada por outros tantos deles.





Cada movimento deles corresponde a uma nota emitida pela minha harpa, como se a minha composição de tom agressivo tomasse vida, proporcionando-me um espetáculo único.


- Senhor Mime! Eu sei que o senhor é um Guerreiro Deus, mas não tem o direito de fazer isto! Vai contra as leis de Asgard! - reclama um ingrato soldado que assistia à minha exibição teatral.





- Não tenho este direito? - questiono enquanto fuzilo-o com um olhar que prontamente o faz se arrepender por sua ousadia.



- Em outra vida as leis foram objeto de meu estudo. Este conjunto de regras pode ter alguma eficácia no mundo dos homens, onde há um Estado com poder superior a qualquer indivíduo, podendo assim coagi-lo a respeitar tais normas e princípios, bem como puni-lo caso as viole.



- Mas e se houvesse alguém mais poderoso do que aquele que aplica a lei? Quem pode punir a um deus, quem pode dizer ao mesmo o que pode ou não deixar de fazer?




- Num mundo fantástico como Asgard, leis são irrelevantes, tudo o que os cidadãos podem fazer é rezar para que o poderoso indivíduo que os controle seja moral e justo.




- Eu como um Guerreiro Deus, sou uma das pessoas mais poderosas de toda Asgard, nem mesmo a representante de Odin está acima de mim, por mais que ela assim o ache.




- A Senhorita Hilda? - pergunta desesperado.



- Exato. Talvez eu seja apenas inferior ao próprio Odin, um ser tão intangível e que parece tão distante que é possível que sequer exista. - meu ar desafiador e blasfêmico para com o deus do infeliz soldado o faz ficar em estado de choque.


- Mas não se preocupe, meu caminho e de Hilda seguem a mesma direção. Por enquanto... - termino a explicação para então voltar minhas atenções à luta.






"Se Hilda se provar uma governante incapaz de fazer estas maravilhosas terras prosperarem, então eu mesmo assumirei seu posto e moldarei Asgard ao meu modo. Um paraíso que corresponderá a todos os meus anseios, a realização de todas as ideias que jamais poderia executar no já condenado mundo real."


avatar
Malakh
Garanhão Coronas
Garanhão Coronas

Mensagens : 423
Cosmos : 1330
Data de inscrição : 28/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Hypnos em Sex Ago 14, 2015 10:04 pm

Segunda Intro com os Guerreiros Deuses que faltam, seguido de breve post;

Dias haviam se passado, desde a convocação dos Guerreiros Deuses, Siegfried estava desaparecido desde então. Nenhum soldado, aldeão ou outro Guerreiro Deus viu ou sabia para onde Siegfried pudesse ter ido ou mesmo que acontecera com o líder dos Guerreiros Deuses. Nem mesmo Hilda, representante de Odin nas terras gélidas de Asgard sabia e esta apesar de claramente não esboçar reação alguma, no fundo estava preocupada.

Alberich e Fenrir notam que um estranho comboio se aproxima, incrivelmente eles ficam observando em silêncio. De um carro extremamente luxuoso, desce um homem alto e magro, com trajes de nobreza;



Seguindo o nobre, são vistos 5 pessoas, duas delas, igualmente trajavam roupas elegantes que demonstravam que ele poderia ser da nobreza também!





Alberich fita o grupo, sente um certo desprezo, ao mesmo tempo que um enorme cosmo vindo daqueles dois homens em trajes nobres, e do primeiro, um cosmo elevado, maior que todos que já havia sentido.



Um dos homens que integrava o comboio, era extremamente alto, e este sente o cosmo de Alberich, e o fita encarando-o seriamente. Enquanto o restante dos outros se dirigem lentamente em direção ao Palácio Vallhala



Ur igualmente percebe a presença dos outros dois Guerreiros Deuses, e fala pelo cosmo diretamente a eles:

- O que estão olhando seus vermes?? Me acharam lindo??



Ur: Vocês não me parecem grande coisa....eu aposto que se não fosse essa emergência ameaçando Asgard, eu daria cabo de ambos ao mesmo tempo, usando a mão nas costas!! Hihihihiheheheheehahahahaha



Ur, Rung, vamos apresessem!! A senhorita Hilda nos aguarda!! Não se esqueçam que fomos chamados, porque Siegfried desapareceu....



Alberich: O que?? Siegfried desapareceu?? [[Pensava consigo, em um leve espanto]]



Fenrir: Mani...digo...Siegfried desapareceu?? O que será que aconteceu, não senti nenhum cheiro incomum nos arredores do palácio, e nem fui informado de alguma missão que ele pudesse ter ido....

O grupo adentra o Palácio, e Alberich e Fenrir os seguem discretamente, mantendo uma certa distância, para evitar que chamasse atenção daqueles 6 homens.

Ao chegar ao Salão Principal, Durval se curva perante Hilda e começa a conversar com ela, apresentando seus homens;



Durval: Senhorita Hilda, devo dizer que é um inconveniente, ter me chamado aqui. Mas asseguro que eu e meus homens, poderemos dar conta da situação.



Durval: Se essas forças impuras que invadiram nossas terras executarem quaisquer movimentos mais, meus homens irão atrás deles caça-los como cães.
- A propósito senhorita Hilda, deixe-me apresentar meus melhores guerreiros, escolhidos a dedo.



Este é Ur, excelente espadachim, tem uma velocidade anormal, consegue sobrepujar quaisquer inimigo rapidamente. É valente e impiedoso no campo de combate.

Durval, tomava mais um gole de vinho, e continuava! Aquele grandalhão ali, é o Rung.



Um poderoso guerreiro, forte, leal e agressoivo. Até hoje não conheci nenhum homem que tenha se defrontado com ele e que tenha sobrevivido.



Durval: E este é Loki, meu braço direito. Seu poder e força são comparáveis aos meus. É cruel com forças hostis, invasores e profanadores. Tem uma técnica capaz de dizimar um exercito inteiro.



E aquele parado ali rente a janela é Frei, meu braço esquerdo.Excepcional Guerreiro Deus, muito poderoso mesmo. Possui técnicas formidáveis e um tremendo senso de justiça.

Alberich e Fenrir que estavam assistindo a tudo, ocultos na sombra, se assombram quando outro Guerreiro Deus passa por eles, sem que os dois notem sua aproximação ou presença, uma figura misteriosa, que usava uma mascara que cobria todo seu rosto.



Midgard ao passar por Alberich e Fenrir que continuavam ocultos nas sombras, espionando, vira-se para onde ambos estavam e fala:



Midgard: Vocês dois são mais como ratos espionando, do que Guerreiros Deuses....



Durval e Hilda, bem como os demais, veem Midgard se aproximando, e Durval sem mais demoras, toma a palavra;



Durval: Senhorita Hilda, e este é outro Guerreiro Deus de minhas forças, Midgard. Frio e calculista, ele consegue ser a razão em pessoa. Não mede esforços para aniquilar seus adversários.



Durval: Como pode perceber senhorita Hilda, não há com o que se preocupar mais, minhas tropas e eu, daremos conta do recado, hihihihihehehehahahahaha

Hilda: Assim espero Durval, que Odin possa abençoar você e seus Guerreiros na defesa de Asgard.

_________________
avatar
Hypnos
Fundador sonolento
Fundador sonolento

Mensagens : 2078
Cosmos : 1005754
Data de inscrição : 20/12/2012

Ver perfil do usuário http://coronas.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Pujol em Seg Ago 17, 2015 1:14 pm

Norte de Asgard, o local mais gélido do continente, um local tão terrível que é apenas habitado pelos que dependem da pesca no mar do norte, assombrado por lendas de monstros que o habitavam e que seriam os culpados pelos naufrágios no local e da morte de grandes pescadores. Nesse local um Guerreiro Deus permanecia em repouso, sob as pedras próximas do mar nórdico, ele permanecia sentado, vigiando o mar.



Esse local é tão calmo... É perfeito para aprender sobre o cosmo gélido... Irei aproveitar antes que outra reunião idiota ocorra. Falava ao vento, mencionando para si a reunião que ocorrerá a pouco.




Falava tenuemente enquanto se preparava para mergulhar no mar.




Continuei realizando minha rotina, de treinamento e de sobrevivência, durante o alvorecer eu nadei no mar gélido, a cada braçada para dentro do mesmo sentia que meu controle sobre meu cosmo crescia, explicitamente na capacidade de gerar ar frio.




Podia sentir que somente com isso havia adquirido um grande controle sobre meu cosmo, maior do que possuía no início quando me apossei desse corpo, mas não era suficiente.




Ao sair do mar tudo mudava...



Agora é a hora de aplicar o que o mar me ensinou, como um tigre devo caçar de forma excepcional. Falava comigo mesmo, para sempre ter em mente o que estava fazendo.




Até a penumbra percorria os vales de Asgard, atrás de animais, coisa rara de se encontrar em um ambiente hostil, mas que tornará meus sentidos de caça mais aguçados a cada investida, congelando o alvo superficialmente para não danificar a carne.




A noite tratava de aplicar meu poder sobre o ambiente, ver como meu cosmo estava em comparação ao dia anterior, e o forçava a utilizar todo meu poder para garantir que no dia seguinte estivesse mais forte.





Essa foi minha rotina por dias, me isolei dos demais apenas por capricho, afinal eles poderiam notar o cosmo que utilizei durante a noite, porém era uma estratégia valida, visto que não tinha qualquer perturbação durante minha estada no local e o clima extremo que a noite dará a Asgard era tudo que precisava para tornar meu treinamento mais rígido.




Embora tudo ocorresse sem grandes problemas, um dia algo aconteceu.



Senhor Shido, temos um problema chegando. Falava um guerreiro assustado, vindo da vila de pescadores.



Não se enrole, diga de uma vez qual o problema? Falava calmamente com o guarda.



O dono do cosmo agressivo que o senhor sentiu e nos informou está perto, ele já destruiu duas vilas, sem deixar sobreviventes por que nenhuma delas queria entregar sua localização. Falava aterrorizado com a situação.



Droga... Eu disse que se esse cosmo viesse atrás de mim vocês deveriam contar onde estou, por que não fizeram isto? Falei com certa irritação, por ser em parte minha culpa o acontecido.



Senhor Shido, ninguém irá trai-lo mesmo sendo um pedido seu. Respondia com certo receio.



Serei bem simples, se alguém perguntar onde eu estou vocês falam onde eu estou, não quero mais saber de sangue inocente derramado por vocês fazerem uma burrice de tentar manter um Guerreiro Deus oculto, se estou aqui é para lutar não para me manter atrás de vocês, agora saia da minha frente. Falei com raiva, em grande parte pela burrice daqueles aldeões.

O soldado ruma em direção a cidade levando consigo minhas palavras, enquanto me viro uma vez mais em direção ao mar do norte.
avatar
Pujol
CEO Empalador
CEO Empalador

Mensagens : 1243
Cosmos : 20005826
Data de inscrição : 16/02/2013
Idade : 24
Localização : 4ª Esfera: Giudecca

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Aiacos em Ter Ago 18, 2015 2:55 pm

==================================


"Alguns dias haviam se passado desde aquela reunião com os guerreiros deuses. Porém, nada de importante parecia estar acontecendo. Cada um havia seguido o seu caminho, e eu também segui o meu, procurando me informar mais sobre o que havia acontecido comigo e com os meus colegas foristas."




"Caminhava tranquilamente por uma floresta que ficava nos arredores do palácio Valhalla. Aliás, aquele lugar era bem interessante: o palácio ficava sobre uma formação rochosa, uma espécie de morro de pedra, e mais abaixo, em toda à sua volta, haviam florestas e mais florestas. Como estava bem à toa, e o meu celular estava sem bateria, resolvi conhecer um pouco mais Asgard, quando de repente, eu me dou conta de várias ametistas com corpos dentro. Intrigado, observo elas atentamente, e me relembro das técnicas do guerreiro deus de Megrez."




- Preciso treinar mais...devo levar isso a sério, se não, logo poderei ser morto. "Suspiro fundo, enquanto observo aquele local mórbido, com as ossadas espalhadas por todos os lados."




"Nesse momento, surgem diversos soldados rasos ao meu redor. No total, eram oito deles. Ao olharem para mim, prestam reverências, me saudando. Aquilo fazia eu me sentir um rei, o meu ego era massageado."




- Vocês trouxeram o que eu pedi?? "Comento em um tom de sarcasmo e deboche."




- Sim, lorde Jimmy, nós a trouxemos! "Afirma o líder daquele grupo, um homem barbudo, o mais velho, e também o mais inteligente e poderoso deles."




"Eis que um dos soldados, que carregava uma garota no ombro esquerdo, joga-a para frente. A jovem, em um ato instintivo, se agacha, com medo."




- Aeeeeeeooooooo!! "Solto várias gargalhadas malignas. Em seguida, gesticulo para os soldados se retirarem."




"E a jovem garota olha para mim, com um olhar assustado, e ao mesmo tempo, de surpresa."




- O que o guerreiro deus de Megrez quer comigo? "Prontamente Lyfia assume uma postura mais ativa, e num semblante mais sóbrio e audaz, me questiona, e ao mesmo tempo, fica me encarando com os seus olhos azuis."




- Suco do amor..."Comento bem baixinho comigo mesmo, quase inaudível, enquanto esboço um sorriso psicótico."


=====================================================

_________________
"Let´s dance!"


avatar
Aiacos
Berseker
Berseker

Mensagens : 1477
Cosmos : 20008823
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 4 1, 2, 3, 4  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum