Coronas Temple

Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Hunter em Qua Set 07, 2016 3:52 pm

- Eu sou Fornjót, a encarnação do fogo, e líder dos gigantes de Muspelheim. 
- Soubemos que alguns ratos invadiram nosso reino, e viemos aqui esmagá-los!! 

"Vocifera furiosamente enquanto cospe fogo para os lados."

- A claro,chega ser ironico.Perdido em um lugar quente pra caralho e meu inimigo ser um gigante..Estou com sorte "Falava dando um sorriso ironico"

"Um dos gigantes avança ferozmente com um enorme martelo em mãos,por pouco não acerta Hunter"

- Calma ai cara porque não esfria um pouco a cabeça? "Faz uma piada nivel praça"

"O guerreiro deus então lança uma fina rajada de ar frio no gigante,que se mostrava não ter efeito.O guerreiro mostrava sinais de exaustão,mal conseguia se manter em pé"

Droga esse ambiente esta me matando desse jeito eu.."Pensava negativamente quando é interrompido por Fornjót"

-Hahahahahahah..Reles Asgardiano,como ousa adentrar no reino do fogo com tamanha 
falta de poder? "Debocha da cara do guerreiro"
"Em meio aquela declaração podia-se ouvir inumeras gargalhadas pelo local,Hunter estava com uma pessima expressão"

-Irei me divertir vendo você sendo esmagado por meus subordinados hieahiehaiehia

"Fornjót se distancia dando espaço para uma multidão de gigantes que tomavam o local"

"Em meio a provocação Hunter se mostrava muito irritado,era atacado por todos os lados pelos gigantes,conseguindo desviar da grande maioria dos golpes,porem sua exaustão o limitava,sendo assim atingido algumas vezes"

-Ei qual é o problema de vocês? Ja são enormes,porque não vem um de cada vez? 

"Segue-se uma novamente uma leva de gargalhadas"

"Hunter desvia novamente do primeiro gigante,mas é atingido pelo segundo e recebe o terceiro golpe o jogando para longe."

Estou encurralado,preciso arrumar uma maneira de contra atacar "Tenta analisar a situação,mas nada vinha sua mente."

"Desesperadamente o guerreiro desvia de mais um ataque forte e tenta acertar o gigante com um forte chute"

-Desista verme,você não tem escapatoria. Aqui sera seu fim "O gigante agarra a perna de Hunter e como se o guerreiro fosse nada ele o arremeça ao chão"

-Fique no chão,esse é seu lugar. "Mais gargalhadas surgem no lugar,os gigantes claramente estavam apenas se divertiam com a situação"

"Em sua mente não vinha nada.Não tinha uma solução.Estava tudo...acabado."

Espere "Pensa Hunter quando uma memoria vem em sua cabeça"

---------------------------------Flashback----------------------------------------

---Brasil "mundo real"

"O jovem Hunter chegava em casa levemente embriagado,quando se deita para dormir.Ao encostar a cabeça no travesseiro tudo automaticamente fica preto."

"De repende varios "projetos" de imagens passa por sua cabeça:Armaduras,Fogo,um lugar totalmente branco e outras coisas que sua mente não pôde processar naquele momento..tudo volta a ficar preto."

---Asgard,proximidades do castelo de Durval

"Hunter abre os olhos vagarosamente,um frio nunca antes sentido passa pelo seu corpo.Ele esta em um comodo simples,onde só havia um colchão e um lençol velho que o cobria parcialmente"

-Mais um sonho estranho desses "falava sozinho enquanto levantava vagarosamente.Hunter se senta  no colchão com uma das mãos esfregando sua testa"

-Onde caralhos eu estou? fiquei tão chapado assim ontem? "falava enquanto olhava para o quarto vazio"

"Alguem bate na porta"

-Midgard,Durval solicita sua presença.

-Quem? "falava espantado"

-Lord Durval,não demore "Ouvia se passo pelo corredor,a pessoa que estava na porta abandona o local"

"Meio grog,Hunter se levanta desesperadamente,de inicio não entendia a situação,sai pelo corredor sem direção,quando encontra um homem trajado com uma brilhante armadura."

-Vamos "diz o homem"

"Hunter fica perplexo por alguns segundos,ele reconhecia aquele homem,ja tinha visto em algum lugar.Esse homem era ninguem menos que Ur de Surt guerreiro deus de asgard.Hunter o segue,no momento acredita estar vivenciando um sonho.Não poderia estar mais enganado..."

"Quase que na entrada da sala de Durval,existia um enorme espelho.Hunter olha para o espelho e o encara por minutos não acreditando na imagem que vê"

-Esta na hora. "Ur abre a porta,ja tinha outros sujeitos no local.Hunter logo os reconhece.Eram Loki de Fenrir e Rung de Thrym"

-Desculpe-nos pela demora Lorde Durval "Ajoelha-se Ur"

"O ambiente era estranhamente cheio de tensão.A sala ficava em silencio"

-Vamos começar "Diz Durval"

-Recebi algumas informações...Vou falar para vocês sobre meus planos...

"Após horas a reunião termina.A mente de Hunter estava a mil,a cada segundo uma nova teoria nascia em sua mente.No fim acaba não prestando atenção nas palavras de Durval,Não ligou para suas informações ou planos.Só queria entender oque acontecia com ele"

"Os Guerreiros deuses em sua maioria se retiram da sala ,ficando apenas Durval e Loki"

Então,realmente...Isso realmente não é um sonho..."pensava enquanto caminhava no corredor enquanto ouvia a porta da sala de Durval se fechar"

"Hunter parecia estar dormindo acordado,não ligava para oque acontecia em sua volta,quando Rung o chama atençã"

-Oque Houve Midgard,você não esta com medo da situação esta?

"Hunter demora alguns segundos para responder,mas logo o responde de maneira meio desajustada"

-Er.e..é Claro que não..Quer dizer..Não seja tolo .

"Hunter então acelera o passo.Tomando a frente de todos,deixa os guerreiros deuses para trás"

Eu estou aqui..Seja que caralhos estiver acontecendo,preciso me preparar..."Pensa Hunter quando chega a porta de saida do palacio,tem sorte de não ter se perdido naquele enorme local."

"O guerreiro abre a porta e fica impressionado com tamanho Horizonte branco."

-Antes de mais nada vou buscar respostas.

"Hunter então parte sem rumo nas terras de asgard,nem mesmo ele sabe quantos dias ficou
longe do palacio."

"Grande parte de sua jornada,foi focado em seu treinamento.Em sua mente lembrava de varias cenas sobre Saint seiya,des do primeiro epsodio onde Marin treinava seiya explicando a origem do cosmo,e ia até os treinos gedais do Shiryu..Ele treinou incansavelmente.De inicio mal podia manifestar seu cosmo,mas depois de varias tentativas e erros,pode adquirir controle pleno do seu cosmo"


-------------------------------FIM DO FLASHBACK-------------------------



-Não adianta me desesperar, tenho que manter a calma e me lembrar do meu treino. "Diz soltando um profundo suspiro"

"Hunter demonstra uma espantosa calma em meio a situação.A manifestação do seu cosmo se mostra impressionante"

"Ele parecia outra pessoa,ja não tinha dificuldades em meio ao ambiente ou para desviar os golpes dos inimigos,seu cosmo começa a se sobressair em meio a multidão."

"Flocos de neves começam a cair em meio aquele mar de lavas"

-Que diabos é isso? Estou ficando maluco? "Falava um dos gigantes,seguido de indagações dos demais"

-Isso meu amigo esquentadinho.Isso é o fim de vocês hahaha "falava em um tom debochado"

"Um dos gigantes apavorado tenta atingir Hunter com seu machado,mas não obteve sucesso na investida.Hunter segura o machado do gigante,congelando quase que instantaneamente"

 
-Cara,seu machado ficou bem mais estiloso assim "Fala virando o machado levemente para a direita,o gelo do machado começa a corromper o braço direito do gigante,impossibilitando-o de soltar a arma"

"A provocação atinge o gigante como se fosse um soco em sua barriga.O mesmo reage instantaneamente,tentando acertar um soco rapido com sua mão livre.Hunter desvia facilmente,criando uma estaca de gelo e acertando um golpe mortal na altura do peito do gigante."

-FATALITY.hahaha "Diz Hunter alterando sua voz e fazendo uma pose de vitoria"


"Como se a queda de um de seus companheiros não tivesse ocorrido,os gigantes restantes continuam seus constantesa ataques no guerreiro,mas Hunter desviava facilmente,derrubando um inimigo atras do outro.Era uma sequencia impressionante,Hunter não parava um segundo sequer para respirar.O calor ja não o afetava mais e os flocos de neve continuavam a cair,até evaporar ao tocar no solo quente"


-Mas.s..s não é possivel !? Como um verme desse tamanho,que mal se aguentava em pé a minutos atrás,está derrotando tantos gigantes?
"Fornjót estava espantado,o lider dos gigantes,não conseguira acreditar que seus subordinados sucumbiam um atrás do outro para um simples guerreiro.O mesmo toma iniciativa e começa a avançar em direção ao centro da batalha"

Preciso seguir em frente.Manigold precisa de minha ajuda "Pensava Hunter"

-Então vamos esfriar as coisas de vez "Hunter da um ligeiro salto para tras,ficando a uma media distancia dos gigantes.Seu cosmo crescia freneticamente a cada instante"

-Só não pode faltar a dancinha né?


PÓ DE DIAMANTE


"Com o golpe,todos os gigantes viram enorme estatuas de gelo"


-Nunca imaginei que fosse assim tão facil "Caminha em meio as enormes estatuas de gelo e para em frente a Fornjót que estava congelado"

-Só pra avisar.Cuidado com o Shun de andromeda kkkkkk "fala em tom debochado olhando para Fornjót"
"Hunter se vira e de repente ouve um pequeno estalo a suas costas"

-A não cara,fica ai de boa,não corte clima "Hunter observa Fornjót congelado.pequenas rachaduras começam a surgir em meio ao gelo"
"Em um enorme estouro Fornjót foge do seu estado congelante e fica cara a cara com Hunter"

avatar
Hunter
Falhador
Falhador

Mensagens : 629
Cosmos : 10007942
Data de inscrição : 27/12/2012
Idade : 22
Localização : Desconhecido

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Aiacos em Qui Set 08, 2016 5:17 pm

[b]
"O fim da revelação de Odin."

"Estava com raiva desse maldito, mas não podia deixar de ouvir suas explicações para entender o que estava acontecendo."

"Controlar o ódio é fundamental!"



- Respondendo a sua pergunta, existem três grupos de guerreiros deuses, entende Megrez?

- O primeiro grupo é o chamado de grupo principal, que representa a elite. E você faz parte desse grupo. São os guerreiros deuses originais, que existem desde os primórdios de Asgard.

"Odin se aproxima na minha direção."



- Esse grupo principal sei que é composto por Dubhe, Merak, Phecda, eu, Alioth, Benetnasch Mizar e Alcor. Mas e os outros?

"Me aproximo de Odin, enquanto estico meus braços fazendo um leve alongamento."



"O soberano dos deuses respira fundo, e volta a explicar tudo para mim."

- Bom, além do grupo principal, que são oito guerreiros deuses, existe um grupo secundário, chamado de grupo de suporte.

- Esse grupo secundário é composto de sete guerreiros deuses. Apesar disso, deste grupo somente dois deles estavam ativos, Frodi de Gullibursti e Sigmund de Grani, irmão de Sigfried. E eles atuavam como guerreiros deuses auxiliares. Porém nos últimos dias esse grupo secundário aumentou, durante a minha ausência no outro mundo, passando a ter mais cinco integrantes, que foram recrutados por Surtur, para fazer oposição contra mim.

- Frodi e Sigmund sofreram possessão demoníaca, forçando eles a entrarem nesse novo grupo de guerreiros deuses. Com exceção dos dois, o resto deles são os seus inimigos.

"Odin levanta dois dedos de sua mão direita, apontando-a para mim, no intuito de enaltecer sua afirmação. Não queria que Gullibursti e Grani morressem."[/b]

[b]

- Heracles de Tanngrisnir, um poderoso guerreiro deus que usa da força bruta e extremamente orgulhoso. Existe o mais cruel deles, chamado Fafnir de Nidhögg, que não vale o ar que respira. Temos também o poderoso e estrategista Surt de Eikthyrnir
, mas não confunda ele com o deus Surtur, entendeu?
[/b]


"Odin coça sua nuca, enquanto respira inquieto, demonstrando estar um pouco preocupado."

- E por último existem dois deles que são extremamente poderosos, como o misterioro Utgard de Garm, dito como o segundo mais poderoso deles. E o mais poderoso deles...




- Balder de Hraesvelgr...

"Interrompo Odin novamente. Quando quero, sou bem grosseiro com os outros, foda-se se é uma divindade."

-Correto, ele mesmo.

"Odin gesticula com a cabeça afirmativamente."

- Mas ele não será mais preocupação, Pujol acabou com aquele maldito.

- E o terceiro grupo seria os guerreiros deuses de Durval, não é?? Pra que servem? São inúteis!


"Solto uma gargalhada sádica."



- Não são inúteis, não fale bobagem! Eles são um grupo de reserva, cuja finalidade é proteger Durval e a minha representante, Hilda de Polaris, bem como a irmã dela, Freya.

"Odin demonstra estar profundamente irritado com minha atitude, ao insultar os guerreiros de Durval."

- Que seja!! Eles não prestam pra nada!

"Continuo a afirmar meu pensamento. Para mim eles não passam de bucha."





- Você está errado Megrez. Ages de modo prepotente, eu não gosto disso. Mas as vezes você é capaz de fazer a coisa certa...c
omo ter poupado Frodi por saber que ele não era inimigo.

- Volto a repetir! Tanto Frodi quanto Sigmund devem ser poupados. Quando Surtur recrutou os novos guerreiros deuses, ele aproveitou e lançou um feitiço para controlar a mente de Sigmund e Frodi, forçando eles a entrar pro grupo secundário. Por isso, quando Surtur for eliminado, a mente deles se livrará dos domínios demoníacos dele, e assim Frodi e Sigmund estarão livres novamente.

- Que bobagem! Até parece que vamos segurar os dois até Surtur ser derrotado. Mais fácil matar eles de uma vez só.

"Resmungo com certa irritação, não queria me dar ao trabalho de mantê-los vivos. Apesar de ter poupado Frodi, agora eu já cogitava matá-lo para não ter mais problemas."




- És muito arrogante Megrez...simplesmente despreza os outros e só se importa consigo mesmo. Mas sei que no fundo você é uma boa pessoa. Como disse antes, o fato de você poupar Frodi para querer livrá-lo da possessão, me faz ter fé em você.

- Acorde!! Abra os seus olhos!! Seus amigos estão morrendo...um atrás de outro! Isso me causa uma enorme aflição. Sei que não tenho o direito de dizer isso, mas eu trouxe suas almas para cá por que senti um enorme potencial em vocês. E fico profundamente triste ao ver vocês morrerem.

"Odin transmitia um forte pesar nas suas palavras. De alguma maneira ele se afeiçoou de nós. Como isso poderia acontecer? Até poucos dias atrás, ele sequer fazia ideia das nossas existências. Isso é falsidade, lágrimas de crocodilo!"



"Sem me conter, eu explodo em fúria."

- Isso é mentira...não me venha com discursos piegas e cheio de sentimentalismo, para mim não cola.

- E quem garante que irei salvar Frodi? Posso deixar ele morrer na couraça ametista!


- Pode parar com os seus discursos!!

"Grito com fúria encarando Odin. Não aceitava suas palavras tampouco confiava nele."

"Acalme-se Megrez!!"

"Onii-chan está furioso."



"Odin estreita seus olhos, me encarando."

- Você não me engana. Eu sei que você também se importa com eles. Apesar da arrogância és uma pessoa bondosa.

- Megrez, agora você já sabe toda a verdade...não lhe devo mais satisfações. Já perdi muito tempo contigo, tempo esse que não disponho.

- Eu preciso ir...diferente de você, os seus amigos estão tentando salvar Asgard...devo ir ajudá-los!!

- Dubhe nesse momento irá morrer...não podemos perder mais um guerreiro deus!

- Se a hora dele chegou, paciência. Isso tudo é culpa sua, hahahahaha...

"Solto uma risada diabólica novamente, provocando Odin."




- Tsc...você não entende, não é mesmo? Que seja, você pode ficar aqui mesmo, seu maldito inútil! Eu irei ajudar aqueles que merecem a minha ajuda!!


"Odin resmunga com raiva, me desdenhando. Em seguida, o deus olha para o céu, observando a constelação de Ursa Maior, seu cosmo desaparece por completo, liberando Lifya de seu domínio. A jovem em seguida cai desacordada no solo, como se estivesse morta."

"Apesar do susto, pude ver que ela ainda estava viva, podia sentir sua pulsação. Acabo pegando-a com os braços, e carrego ela para dentro do palácio."

"Após deixar Lyfia deitada na cama, um pensamento lascívio surge na minha mente, porém logo é interrompido por uma situação inesperada."




- O que está acontecendo aqui?

"De repente, do nada, minha armadura passa a sofrer uma forte ressonância. A safira de Odin também passa a brilhar. Em um instinto de auto defesa, cruzo meus braços tentando ver se parava a ressonância, mas a mesma só continua a aumentar."





- Que porra é essa??

"Observo a minha armadura cuja ressonância aumenta mais ainda, e a safira de Odin começa a brilhar mais forte do que nunca."

'Minha armadura está me rejeitando? Não...não é nada disso...'

- Manigold??



"Olho para a janela do quarto, observando a Ursa Maior no céu."

------------------------------------------------------------------------------------------


-------------------------------------------------------------------------------------

"Enquanto isso, em outro lugar."



"Olhem, é Malakh de Benetnasch!!"



- Você me subestimou, Sirene. Esse é um grande erro no campo de batalha, você deveria saber disso.

 "Continua a tocar a sua harpa, enquanto seus fios continuam prendendo o general marina firmemente."

"Frio e calculista, esse é Malakh."



- Aaaaaehhhhh...

"Malakh usa suas cordas e arremessa Sorento com força contra uma parede."

"O general marina cai no chão com força."

"Generais marinas não são páreos para os guerreiros deuses?"



"O general marina não passava de uma marionete nas mãos de Benetnasch."




- Que estranho...minha armadura está ressoando...não bastasse isso minha safira também está brilhando....

- O que será que está causando essa reação?


"Malakh para por um segundo, pensativo, ao notar a ressonância da sua armadura."

- Eu preciso me apressar!



"Porém algo estranho acontece. As linhas começam a ficar completamente rígidas, e acabam partindo-se, uma a uma."


"Algo incrível aconteceu. Elas foram congeladas e destruídas."

"Sorento cai no chão, sem forças."



- O quê? Sorento não possui essas habilidades com o frio...não...espere...tem alguém aqui...

"Malakh vira-se para o outro lado."

"Quem será o salvador de Sorento de Sirene?"



"Era Isaac de Kraken."

"O que acontecerá agora?"

"Kraken conseguirá derrotar Benetnasch?"

-------------------------------------------------------------------


"Enquanto isso..."




- Que estranho...minha armadura está ressoando.

- A minha safira também está brilhando muito. O que está acontecendo aqui? Isso é muito bizarro!


"Schiffer olha para o céu, se questionando."




- Não pode ser...a armadura está ressoando...não só isso...a safira dele também...


"O oponente de Schiffer também fica surpreso com a situação."




- Senhor Surtur...não pode ser...

"O guerreiro deus se mostra visivelmente preocupado."

------------------------------------------------------

"No Palácio Valhalla..."




- Senhor Durval...olhe a estrela Alpha...

"Frey observava a constelação de Ursa Maior."




- Droga...isso não é nada bom!!!

"Durval se levanta de seu trono, se afastando de Frey. O mesmo se dirige até os seus aposentos."

- Sigfried, seu inútil. Por acaso pensa em se matar??

"Resmunga proferindo palavras de baixo calão."

-------------------------------------------------------------------------------------


"Não longe dali, na entrada do palácio de Valhalla."




- Manigold...o que você está pensando, seu maluco??

"Henrique observa a estrela Alpha perdendo seu brilho."

"Os guerreiros deuses restante sentem suas armaduras ressoarem, e suas safiras brilhando. Porém, os outros guerreiros deuses sem safira, apenas notam o brilho da estrela Alpha que estava se enfraquecendo."

"Manigold morrerá?"

" O que irá acontecer com os jovens guerreiros deuses de Asgard?"

"Odin revelou tudo."

"Conseguirão deter os planos malignos de Loki e Surtur?"

------------------------------------------------


Última edição por Aiacos em Sex Set 09, 2016 2:15 am, editado 1 vez(es)

_________________

“Nada é mais justo na vida do que a própria morte. Não importa a cor da sua pele, não importa a profissão exercida, não importa a crença acreditada, não importa aonde nasceu e tampouco de onde veio. Todos, sem exceção nenhuma, irão voltar à terra, para apodrecer e servir de alimento aos vermes.”
avatar
Aiacos
Berseker
Berseker

Mensagens : 1491
Cosmos : 20009072
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Malakh em Sex Set 09, 2016 11:19 pm




A luta entre Sirene e Benetnasch foi interrompida quando as cordas da harpa de Mime foram congeladas e se partiram, liberando Sorento, que caiu esgotado ao solo.



O responsável pelo artifício congelante se revelava.



 
- Isaak de Kraken! – exclamou um surpreso Mime.


“Espero que não seja o Hyodo, caso contrário ele irá congelar o meu cosmo, minhas ilusões e até mesmo minha conta bancária.” – pensou tentando não esboçar uma risada ao lembrar de uma memorável postagem do antigo fórum.




- Então também já ouviu falar de mim, Mime de Benetnasch...


- Exatamente. – Malakh já havia adotado o nome de Mime a esta altura, pois lhe dava a confiança necessária para o manejo de suas habilidades e para o porte do Robe de Benetnasch. Era uma questão de status, de imposição de respeito e de temor. O nome do Guerreiro Deus era poderoso e Malakh sabia que poderia se aproveitar disto.



 
- Parece que você se saiu bem contra o meu companheiro Sorento, mas isto não se repetirá comigo!
 
Mime sabia que Isaak dizia a verdade, sua principal técnica não parecia ser efetiva contra o ar frio do General Marina. O Guerreiro Deus, todavia, decidiu arriscar um golpe direto, a fim de descobrir se poderia superá-lo em velocidade.



 
RÉQUIEM DE CORDAS!
 
Mime arriscou um ataque surpresa sobre Isaak, que foi totalmente enlaçado por suas cordas. No entanto, elas mal puderam pressioná-lo, pois foram prontamente congeladas e quebradas.



 
- Como dizia, você não vai conseguir repetir tal feito com este General Marina!



 
AURORA BOREAL!
 
Mime evadiu-se rapidamente do golpe, mas logo constatou algo terrível: seu braço esquerdo havia sido congelado.





- Mas que merda!


“Preciso pensar em uma alternativa... Sim, devo tentar isso, não tenho outra escolha.” – pensava enquanto olhava o enfraquecido Sorento caído ao chão.
 
MIRAGEM DO HARPISTA



 
Novamente Mime utilizava-se de sua técnica ilusória para gerar clones falsos de si mesmo.
Todas as réplicas pegaram as harpas com suas bocas e passaram a tocá-las com os únicos braços que tinham movimento.



 
Enquanto isso, Isaak atirava sua técnica Aurora Boreal contra cada uma das imagens de Mime, à procura da verdadeira.




- Seja lá o que estiver fazendo, não está surtindo qualquer efeito em mim. Parece que sua melodia está morta e em breve você também estará!


 
- Quem disse que a melodia estava direcionada a você? – disse uma voz que imediatamente foi reconhecida por Isaak, que se virou em busca dela.



 
À frente do General Marina de Kraken, estava Sorento, em pé, com sua flauta nas mãos e um olhar fixo sobre ele.



 
- O que está fazendo Sorento? Vamos, me ajude a acabar com esse infeliz!
 
- Isso não vai ser possível. – respondeu Sorento.



 
- Não sou mais o Sorento, sou apenas um instrumento controlado pela Melodia da Submissão de Mime. Minha voz é a voz dele, minhas ações são determinadas por ele e minhas técnicas... são as armas dele.
 
Um violento desespero tomou conta de Isaak, seu suor congelava em seu rosto. Ele tinha conhecimento do quão letal poderia ser a técnica de seu colega.



 
- Ma-mas... Você é um General Marina.. Não pode simplesmente...



 
- É mesmo uma pena. – interrompeu Sorento – mas a minha música deve entrar em consonância com a melodia de Mime.



 
- Ouça esta triste sinfonia que preparamos como o tema de sua morte. Será a última coisa que escutará nesta vida.
 
SINFONIA FINAL DA MORTE



 

O General Marina de Sirene lançou sua técnica mortífera contra Isaak.
avatar
Malakh
Garanhão Coronas
Garanhão Coronas

Mensagens : 438
Cosmos : 1583
Data de inscrição : 28/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Aiacos em Seg Set 12, 2016 6:32 pm

======================================================


"Enquanto isso, no palácio Valhalla, uma silhueta perambulava pelas sombras."


 

"Uma inquietude assolava o enorme lugar. O vento soprava fortemente, e a neve continuava a cair intensamente."




"Passos podiam ser escutados nos corredores do Palácio. Quem será o intruso? Um amigo? Um inimigo?"


"Cenas de suspense."




- Senhor Durval!! Tem um intruso no Palácio Valhalla!!


"Frey se aproxima do seu líder, com um olhar de preocupação."




- Maldição...eu estou sentindo um cosmo hostil nos arredores...


- Apesar disso...ele está se ocultando muito bem...


"Um pouco de suor escorria pelo seu rosto. Sua inquietação era aflitante."








- Enquanto isso, os guerreiros deuses estão travando diversas batalhas mortais por toda a nossa terra...


"Suspira profundamente, visivelmente preocupado."


- Seria ingenuidade achar que eles não viriam até aqui...









- Isso sem mencionar que alguns deles já se foram...a situação é crítica.


"Frey pensativo sobre os guerreiros deuses que foram mortos há pouco."




- Precisamos nos preparar.


"Durval se levanta de seu trono, e caminha em direção ao seu subordinado."


- Chame logo o guerreiro deus de Fenrir, nós devemos formar um grupo de defesa!


"Durval para logo em sua frente, deixando Frey um pouco incomodado."




- Tem certeza disso? Ele não será de grande ajuda.


"Frey contesta Durval."


- Não se esqueça que ele abandonou seu posto e está se embriagando nos bares que existem por toda Asgard.




- Eu sei, mas precisamos unir o máximo de guerreiros possíveis. Ur e Rung já se foram, e Midgard desapareceu. Infelizmente precisaremos de qualquer ajuda possível.


"Durval remove suas vestes revelando sua armadura por baixo."





"Do nada, um golpe avassalador sai do meio da escuridão, em direção ao Salão Principal."




- Mas o que é iss...


"Mal consegue se virar, eis que o poderoso golpe lhe atinge."




- Aaaaahhhhhhhhhhh...


"Frey ao ser atingido pelo golpe com violência, teve suas vestes destruídas, sendo dilacerado. O impacto era tão violento que arremessa-o contra a parede do outro lado do salão."




- Argh...maldito...quando que ele chegou aqui?


"Frey se questiona, enquanto desliza pela parede, caindo ao chão."




"Então Frey cai morto no chão."


- Merda...não posso acreditar que Frey foi morto com tanta facilidade...


"Durval se aproxima e observa o corpo de seu subordinado morto."



- Desgraçado...quando foi que você chegou aqui??


"Durval se põe em posição defensiva."




"Eis que o responsável dá as caras. Ou melhor, nem tanto assim."


- Você sofrerá o mesmo destino que esse lixo, Durval!!


"Utgard de Garm intimida o líder do terceiro grupo de guerreiros deuses, que atualmente está cuidando do palácio de Valhalla."


"Por onde andará a representante de Odin, Hilda de Polaris."

-----------------------------------------------------------

_________________

“Nada é mais justo na vida do que a própria morte. Não importa a cor da sua pele, não importa a profissão exercida, não importa a crença acreditada, não importa aonde nasceu e tampouco de onde veio. Todos, sem exceção nenhuma, irão voltar à terra, para apodrecer e servir de alimento aos vermes.”
avatar
Aiacos
Berseker
Berseker

Mensagens : 1491
Cosmos : 20009072
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Aiacos em Ter Set 13, 2016 12:32 pm

===================================================

"Nesse momento, em um local mais isolado de Asgard, dois guerreiros deuses inimigos se enfrentavam."

"O que será que irá acontecer a seguir??"

"Vida ou Morte!"






"Snowy Mountains - Bad Company 2 soundtrack".

--------------------------------------------------------------------------------------------

"Engraçado que muitas vezes eu sempre quis um pouco de ação...minha vida as vezes era pacata demais...e muito monótona..."

"Foi quando eu percebi...que eu amava o meu jeito de viver..."

"Foi na agonia e na beira da morte...que vi o valor inestimável da paz..."

"É...as vezes só percebemos o valor depois de perder as coisas...'






"Uma densa floresta, sob uma forte ventania..."

"Neve e mais neve caia pelo espesso solo de gelo."





- Isso é muito ruim...

"Surtr olhava de relance para o horizonte, nas montanhas, sob o escuro céu negro e deprimente de Asgard."

'Odin irá enfrentar meu mestre...preciso acabar isso aqui logo...'

"Pensativo, o guerreiro deus tenta elaborar algum plano."

"A pressa muitas vezes custa caro."

"Muito caro."




- Muito bem, vamos logo com essa luta, Fenrir!!

"Volta os seus olhares para o seu oponente, e diz o último nome em tom de escárnio."

"Ele sabia do que havia acontecido. E sabia muito bem que o seu oponente não era Fenrir de Alioth, mas sim outra pessoa que assumiu seu lugar."





- Meu nome é Schiffer...Fenrir não existe mais!! Achei que você soubesse de tudo, como tu bem disse há pouco...


"Nosso herói responde com um sorriso de satisfação."

- Mas que seja...vamos!

'Devo ser cauteloso.'

"Reflete nosso colega otaku."

"E assim, o combatente assume uma posição ofensiva, estendendo seus braços."






- Claro que sei...você é um impostor...


"Solta uma gargalhada diante de Alioth."

- Não será difícil matá-lo!


- Diferente de Fenrir, que treinou por anos...você só está aqui há poucos dias...

"Aponta seu dedo para Schiffer."

- O que você poderá fazer contra mim, que treina há anos para ser um guerreiro deus?







- Hunf...esse excesso de confiança vai custar a sua vida...

"Sem perder tempo, nosso otaku começa a elevar sua cosmo energia ao ápice, sem receios de poupar energia."






- Hahaha...isso é o que veremos!!

"Surtr solta uma leve risada, demonstrando sua despreocupação."






- Você vai morrer!!!

"Eis que do nada, explode seu cosmo agressivamente, como um vulcão em erupção."









- Vem que tem, seu filho da puta.

"O cosmo gelado de Schiffer colide com o cosmo quente de Surtr, criando uma enorme névoa ao redor de ambos."




"Sem perder tempo, o guerreiro deus saca a sua espada."

"O que será que vai acontecer?"

"Schiffer dará conta de enfrentá-lo?"




- Vai pro inferno seu verme...


"A sua espada enche-se de chamas, e o guerreiro ataca com todas as suas forças, partindo pra cima de Schiffer."






- Redemoinho Flamejante do Corvooooo!!!

"Dispara centenas de rajadas de fogo, em alta temperatura, extremamente cortante."






- Esse golpe é de viado...não me faça rir...


"Alioth dispara em alta velocidade, se desviando das rajadas flamejantes disparadas pelo seu oponente."

- Whoooaaa...



- Garras do Lobo Assassino!!

"Schiffer percorre certa distância para ficar próximo de Surt, e dispara seu golpe de perto."






"Incontáveis rajadas cósmicas são disparadas por Schiffer de Alioth."

"Um golpe extremamente perigoso, de natureza gelada, contra o golpe de Surtr, de natureza quente."






"Assim as técnicas de ambos se colidem uma contra a outra."






"Com isto, várias explosões vão ocorrendo ao redor do campo de batalha."

"Primeiro toda a camada de gelo era descongelada em instantes. Depois, pedras e terra explodiam pelos quatro cantos, sendo arrancados violentamente do solo."

"As árvores são carbonizadas e arrancadas do chão."






- Imbecil, você não irá escapar de mim...


"Em meio ao mar de fogo, surge Surtr."

"Sem perder tempo, o guerreiro deus saca a sua espada e avança pra cima de Alioth."






"Desferindo diversos golpes com sua espada flamejante, cortando as costas de Schiffer."

"Uma ferida dolorosa. O corte era tão quente que havia cauterizado seu ferimento instantaneamente."






- Aaarghh...filho da puta!!

"Schiffer vai se desviando dos demais ataques consecutivamente, tomando todo o cuidado pra não ser atingido novamente."

- Desgraçado!!


"Grita com raiva, vociferando contra o seu inimigo."




"Porém outro ataque acaba acertando o peitoral de Alioth, mas dessa vez era de raspão, sem causar danos consideráveis."







"O local fica envolto de chamas, enquanto Surtr ataca Schiffer. Ato contínuo, volta a disparar sua técnica, lançando mais rajadas de fogos. Nosso amigo se desvia, e os ataques acertam todo o chão ao redor criando uma enorme muralha de fogo em volta dos dois guerreiros."





"Vendo a situação se agravar, dá um poderoso salto para trás, escapando das investidas de Surtr."

"Assim, pensa rapidamente numa tática, enquanto recupera o seu fôlego."




'Droga...ele é muito forte...'

"Respira ofegante, mostrando um pouco de cansaço por conta do seu inimigo ter atacado sem parar."

'Mas já sei o que farei...esse merda vai pagar caro!'

"Esboça um olhar de raiva, cerrando seus punhos com força."





- Já está cansado??

"Surtr dá um salto e pousa bem à sua frente, numa distância de dez metros."

- Não vais escapar, irei levar sua cabeça ao meu mestre!





- Morra miseráveeeeel!!

"Dispara na velocidade da luz contra Alioth, empunhando sua espada."



"Schiffer nada diz, apenas se concentra, e também parte para cima de Surtr."

"Os dois voltam a trocar golpes um contra o outro."






"E assim, a batalha vai se tornando cada vez mais violenta."

"Surtr disparava inúmeras rajadas flamejantes contra seu oponente, bem como também desferia diversos golpes de espada, tão poderosos que cortavam o solo com profundidade."






"Schiffer também não fica atrás. Desviava dos ataques de Surtr, e também revidava dando diversos socos contra o oponente, que também se desvia."

"Usando as garras que possui na sua armadura, Alioth tenta perfurar partes vitais do corpo do seu inimigo."

"Uma luta na velocidade da luz, sendo impossível de ser observada a olho nu."

"Determinação."

"Supervelocidade."

"Morte."

"Cosmos!!"




"Eis que os golpes de ambos iam se chocando com violência, criando uma enorme parede de fogo, bem como incendeia todo o lugar."




"Em seguida, uma violenta explosão acontece, causando terremotos e avalanche por toda Asgard."




"Mais rajadas de fogo saem do meio da fumaça, acertando montanhas e florestas distantes."

"Sem mencionar aquelas que voam para o céu, em direção ao firmamento."

"Era possível ver essa luta à distância."




"Eis que a fumaça atinge quilômetros de altura, sendo notada por todos que estavam em Asgard."

"Uma batalha extremamente violenta!!"
avatar
Aiacos
Berseker
Berseker

Mensagens : 1491
Cosmos : 20009072
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Aiacos em Ter Set 13, 2016 3:12 pm

===================================================

"VIDA OU MORTE!"



"A fumaça atinge quilômetros de altura, sendo notada por todos que estavam em Asgard."


"Eis que de repente os ataques cessam. Alioth havia desaparecido no meio da grande cortina de fumaça que havia levantado no lugar."

"Um grande silêncio toma conta."

"O que aconteceu?"

- Maldição...ele sumiu!!

"Eikthyrnir olha para os lados, tentando encontrar Schiffer."

- Cadê você? Seu covarde!!!!

"Grita a plenos pulmões, repleto de ódio."


"Porém o silêncio continuava."

"Havia passado alguns minutos, e o guerreiro deus da armadura azul havia desaparecido."

"Aonde está Alioth?"


- Atrás de você, baka!!

"Sem perder tempo, Schiffer sai de baixo das neves, no solo, surgindo bem atrás de Surtr."


- Garras do Lobo Assassinooooo!

"Sem perder tempo, dispara seu golpe à queima roupa, surpreendendo Surtr."



"Sem escapatórias, o guerreiro deus inimigo não consegue desviar de um ataque tão próximo, e ainda mais na velocidade da luz."



- Aarghhhhhhhhhh...filhoooo da putaaa...


"Grita agonizando enquanto sua armadura é dilacerada pelo ataque de Schiffer."

"E agora? Conseguirá Eikthyrnir revidar?"




"Não bastasse isso, Schiffer continua atacando seu oponente à queima roupa, usando as garras afiadas da sua robe."



"Sangue começa a jorrar por todos os lados."

"A neve era tingida de vermelho."


- Morraaaaaaa!!!

"Grita furiosamente, enquanto vai acertando seus golpes no corpo de Surtr. As suas garras vão perfurando diversos pontos de seu corpo, agora desprotegidos, uma vez que sua armadura foi severamente danificada."



"Sem escapatórias, restava-lhe a derrota."

"Seus olhos arregalados, o desespero estampado em sua face."

- Aaaaaaaahhhhhhh...

"Gritava agonizando enquanto era impiedosamente dilacerado por Schiffer."

"Parecia uma pessoa indefesa sendo esfaqueada sem misericórdia."



"No momento em que foi atingido pelos primeiros golpes, Surtr perdeu o equilíbrio e deixou sua espada cair no chão."

"Logo ela fica coberta do seu sangue, enquanto Alioth continua atacando-o."



"Cravava suas garras nos pontos vitais de Surtr."

"Arrancava pedaços da armadura e carne com o seu ataque furioso."

"E assim continuou por um momento, num ataque sucessivo dilacerando seu alvo."



"Sangue e mais sangue começa a se espalhar pelo lugar."



- Você já era...


"Schiffer dá um salto para trás, enquanto observa Surtr caindo no chão."


- Maldito...como eu...arghh...como pude ser...

"Suspira fundo, tentando respirar."

-...tão descuidado...

- ...coff coff coff...


"Começa a tossir sem parar enquanto golfava grandes quantidades de sangue a casa tossida."





"Uma enorme poça de sangue se forma em volta do guerreiro deus."

"Surtr de Eikthyrnir estava derrotado, e à beira da morte."



"Eis que de repente Schiffer assobia."

"O que significa isso?"




"Eis que dezenas de lobo rodeiam ambos."

"A alcateia de Schiffer, herdada de Fenrir."


- Espere...não...arghhhh...não faça isso...

"Surtr tenta conversar com Schiffer, porém seus ferimentos não permitiam."

"Cuspia sangue, sem condições de se mover."

"Praticamente moribundo."



- Olá rapazes...demoraram um pouco hein?

"Schiffer olha ao seu redor, vendo os lobos recém-chegado."



"Os lobos se aproximam todos de Schiffer, como cães obedientes diante de seu adestrador."

"Já vimos isso acontecer em algum lugar."


- Esse é o jantar de vocês...

- Bom apetite.

"Aponta o dedo para Surtr, caído e imobilizado no chão"



"Os lobos avançam vorazmente para cima do guerreiro abatido."


"Sem perder tempo, vão rasgando a sua carne com ferocidade, destroçando o seu corpo."


- Nãooooo...nãoooooooo...aaaaaaaaaaaaaahhhh...

"Um terrível grito de agonia ecoa por todo o lugar. Porém logo é tomado por um profundo silêncio."




"Mais sangue se espalha pelo lugar."



- Hahahahahaha...se fodeu!!!

"Schiffer solta uma gargalhada sádica, enquanto observa Surtr sendo devorado pelos lobos."

- Virou 'inu no kuso'!!


"Cocô de cachorro em português."



"Em pouco tempo, os lobos se afastam do cadáver. Havia restado somente os ossos, um pouco de carne e sangue."

"A alcateia havia saciado a sua fome."


- Gostou dessa??

"Eis que Schiffer olha de relance para o seu lado."

- Aiacos?


"Revela o nome daquele que estava ali."


- Tsc...que cena mais nojenta...

"Aproximo-me de Schiffer, enquanto observo os restos dilacerados do corpo de Surtr."

- Enfim, não me chame de Aiacos. Eu adotei um novo nome, Heisenberg!

"Viro-me para Alioth, observando em seus olhos."




- Mas confesso que eu gostei sim...

"Solto uma risada diabólica."

- Quem diria que você é tão parecido comigo...




- Apenas compactuamos do mesmo tipo de filosofia...


"Schiffer responde enquanto se aproxima do corpo de Surtr."

- Enfim, seja qual for o seu nome atual, você trouxe o que eu pedi?

"Vira-se para Megrez."



- Sim...está aqui...

"Estendo a minha mão e jogo um saco para Schiffer, que prontamente pega-o."



"Schiffer abre o pequeno saco, e se depara com várias moedas de ouro, correspondendo a uma boa fortuna."


- Esse dinheiro não me fará falta...

"Me afasto de Schiffer, enquanto observo o corpo de Surtr."

- Mas você tem certeza que é isso que você quer?



- Sim, eu tenho certeza absoluta. A minha safira desapareceu, deve estar com Manigold.

- Sinceramente, não vejo motivos para ficar aqui em Asgard protegendo algo que eu sequer sinto vontade.


"Schiffer fecha o saco cheio de moedas de ouro."

- Não me leve a mal viu? Mas essa é a minha decisão. Irei embora dessa merda, e viverei uma nova vida, longe daqui.

"Vira-se de costas."

- Brrr...eu odeio frio...

"Reclama enquanto esfrega as suas mãos."





- Tudo bem, faça como você quiser.

- Adeus Schiffer.


"Estendo a minha mão para Alioth, que também me estende seu braço, e trocamos um aperto de mãos bem forte. Em seguida, me viro e me afasto também do lugar, ficando um pouco longe."

"Em seguida, Schiffer se aproxima de seus lobos."


- Rapazes...isso é um adeus...

"Schiffer por alguns minutos se despede se seus fieis lobos, acariciando-os. A alcateia agora ficaria sem um líder alfa."




"Em seguida, os lobos se dispersam, desaparecendo em meio à densa floresta."



- Adeus pessoal...até um dia...quem sabe...

"Vira-se de costas e se afasta deixando o local de combate, também desaparecendo em meio à floresta e a névoa."


"Apenas observo Schiffer de Alioth desaparecer de vista."

"Próxima parada: Palácio Valhalla."

---------------------------------------------------------------
-------------------------

FIM

_________________

“Nada é mais justo na vida do que a própria morte. Não importa a cor da sua pele, não importa a profissão exercida, não importa a crença acreditada, não importa aonde nasceu e tampouco de onde veio. Todos, sem exceção nenhuma, irão voltar à terra, para apodrecer e servir de alimento aos vermes.”
avatar
Aiacos
Berseker
Berseker

Mensagens : 1491
Cosmos : 20009072
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Malakh em Ter Set 13, 2016 4:12 pm

Sorento lança sua técnica mortífera contra Isaak, a melodia se inicia, mas...





é interrompida quando o solo do local da batalha desaparece e dá lugar a um agitado mar.





Um grande redemoinho surge e os Generais Marinas desaparecem enquanto Mime tenta de toda maneira impedir seu afogamento.


Num piscar de olhos, o Guerreiro-deus se vê em terra firme novamente.





- O que diabos está acontecendo? - pergunta-se ainda caído.


- Aparentemente Poseidon está desperto... Mas esta é uma preocupação para o futuro, devemos cuidar do presente neste momento. - diz uma voz.





- Odin? Tenho ouvido suas solicitações - afirma Mime enquanto se levanta.




- E você as seguiu à sua maneira, porém reconheço sua eficiência. A interferência de Generais Marinas nos atrapalharia nesta guerra.




- Se ao menos parassem de interromper minhas batalhas, talvez eu vencesse de fato alguma. - fala em meio a risos.





- A verdadeira batalha está para começar, não se preocupe. O Palácio Valhalla lhe aguarda neste exato instante. - Odin instiga o guerreiro deus a continuar a luta.


- Não acredito que eu tenha condições de lutar, minha estratégia de usar o General Marina de Sirene como arma falhou. - Mime aponta para seu braço congelado.


- Os danos foram superficiais - explica Odin e o braço de Mime descongela com o poder da divindade.


- Sim, isto ajuda. Mas devo deixar claro que não luto por deus algum.


- Sei muito bem disso, sempre soube. Seu desígnio é a justiça, mesmo que para atingi-la utilize métodos drásticos. Talvez seja exatamente de algo assim que precisamos.


- Uma leitura tão boa de minha personalidade já era de se esperar de um ser onisciente. Deverias ler também sua representante, não creio que Hilda tem capacidade suficiente para manter Asgard este paraíso intocado por mais muito tempo.





- Os Guerreiros-deuses que enfrentamos são asgardianos, vieram do próprio povo que ela administra. Ou seja, a população foi corrompida.


- As grandes mudanças necessitam de conflito para virem a acontecer.


- Justamente. Por tal motivo que após a guerra a situação não pode retornar ao que era, caso contrário novos conflitos serão inevitáveis.


- Dizes a verdade, mas a guerra ainda não terminou. 





- Agora, há outra situação que exige minha atenção. Lute, Benetnasch! - Odin desaparece no ar.


Mime prontamente se dirige ao Palácio Valhalla
avatar
Malakh
Garanhão Coronas
Garanhão Coronas

Mensagens : 438
Cosmos : 1583
Data de inscrição : 28/07/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Aiacos em Ter Set 13, 2016 6:11 pm

--------------------------------------------------------


"Um demônio chamado Utgard."
"Enquanto Heisenberg de Megrez conversava com Schiffer de Alioth,  nesse mesmo instante, no Palácio Valhalla, uma inquietude assolava o local."

"Frey havia sido morto de forma cruel por Utgard de Garm."


"E agora? O invasor conseguirá chegar ao seu objetivo?"



"O Palácio de Valhalla, local de moradia da representante de Odin, Hilda de Polaris."


"Nesse lugar, Durval e seus subordinados estavam tomando conta, garantido a incolumidade física de Hilda, Freya e seus subordinados."


"Mas...tudo mudou! Agora era a vez de Durval de Heimdall batalhar."
"Hilda e Freya correm perigo!"




- Hahahahahaha...


"Uma gargalhada se espalha pelo salão principal. Era o riso do líder do terceiro grupo de guerreiros deuses."


- Você disse que vai me matar com facilidade?


"Durval se prepara, ficando de prontidão enquanto começa a elevar sua cosmo energia."





- Com certeza, você é um alvo fácil.

"O guerreiro deus intimida Durval, enquanto assume uma posição ofensiva. Para Utgard, seu oponente era insignificante. Seu ar descontraído lhe causava preocupações."


- Não se iluda!



- Vocês não são páreos para nós.

"Em seguida, estende a sua foice para Heimdall."

"Os dois se encaram, trocando olhares de ameaça."



- Não pense que comigo será fácil.

"Eis que concentra a sua cosmo energia em uma das mãos, prestes a atacar."

- Meu nível é completamente diferente do nível de Frey!



- Whooooaaaa!!! Morraaa seu maldito!!


"E assim Durval de Heimdall avança na velocidade da luz, atacando com todas as suas forças."





"Em seguida, dispara oseu golpe com todas as forças contra Garm, liberando inúmeras rajadas cósmicas sobrecarregadas."




"Milhares de rajadas avançavam ferozmente."


"Um ataque digno de um líder."


"Conseguirá nosso opositor se desvencilhar?"




- Tolo, fazes me rir!!


"Utgard explode sua cosmo energia."






- Inútil!!! Não conseguirás me atingir com isso!!


"Para a surpresa de Durval, Utgard repele seu ataque com sua lâmina."


"As rajadas são barradas com força."


"Esse é o poder de um dos guerreiros deuses mais fortes da atualidade."


'Balder era o primeiro, eu sou o segundo!'



'Maldito, de onde ele tirou essa força? Meu ataque está completamente imobilizado!!'


"Durval raciocina consigo, enquanto em vão tenta empurrar sua técnica contra seu inimigo."

- Essa não...


"Algo muito errado estava prestes a acontecer."




"E assim...aconteceu...aquele enorme clarão que tomou conta do lugar. Sim...o salão principal explode completamente."


"Mas não somente isso...uma grande explosão sacode o Palácio Valhalla."





- Whoaaaaaaa!! Morra seu verme!!


"Utgard se desvia da grande explosão, saltando para cima."


"E com sua arma em punhos, avança sobre Heimdall."




- Mas o quê?


"Sem tempo de reagir, Durval é surpreendido por Utgard."




- Aahhhhhhhhhhhh...maldição....




"Durval é perfurado exatamente aonde fica o seu coração."


"Um golpe rápido, mortífero e certeiro."


"Esse é Utgard."




"Sangue sai jorrando por todo o lugar."




- Uuff..uff...


"Durval agoniza por alguns segundos, e então cai morto no chão."

---------------------------------------------------------------------


"E assim, Utgard sai do Salão Principal, e se depara com um grande corredor em direção à parte central do Palácio Valhalla."





- Então você está aqui...


"Utgard se depara com outro guerreiro deus."


"Quem será?"




- Achei que você tinha abandonado o seu posto...







- De fato eu abandonei meu posto sim...


"Era R.R. de Fenrir, o último dos guerreiros deuses de Durval, com exceção de Hunter de Midgard, que estava até agora desaparecido de Asgard."


- Mas quando senti o cosmo de Frey desaparecer, vim o mais rápido que pude!!





- Não posso deixar você por as mãos em Hilda e Freya...


"R.R. se coloca em posição ofensiva."



- Apesar de tudo o que fiz, elas continuaram me tratando com respeito e consideração...


- Mesmo com o forte hálito da cachaça, Hilda me abraçou, e pediu para cuidarem de mim...


- Não posso abandonar elas!!


"R.R. cerra seus punhos, lembrando da ajuda que recebeu das duas donzelas."







- Então vou te dizer uma coisa!!


"Utgard eleva o seu cosmo agressivamente."


- Irei te derrotar, e depois levarei a cabeça de Hilda comigo. Nada irá me impedir, muito menos você, seu alcoólatra miserável!







- Não deixarei você passar! 


"R.R. também eleva seu cosmo ao ápice."


"O piso do corredor começa a trincar-se por completo."


"Um violento choque cósmico."







- Morra!!


"Garm então explode o seu cosmo, com ferocidade."


- Maldito!!


"Em seguida sai em disparada contra R.R."







"R.R. também libera toda a sua cosmo energia, enquanto solta um grito em fúria."







- Verás o poder do grande lobo Fenrir!!


"Uma forma bestial toma conta de Rodrigo, que concentra todo o seu cosmo."


"Será que vai conseguir vencer Garm?"




- Whoooaaa...Ataque dos Lobos!!


"Dispara a sua técnica pra cima de seu oponente."






- Tolo...isso não basta!!


"Garm, com seu cosmo ao máximo, ataca prontamente."


- Verás que eu sou o verdadeiro lobo!!!


- Lobos da Alucinação!!


"Utgard também dispara o seu golpe, contra Rodrigo."


"Os lobos vão correndo em alta velocidade, se transformando em poderosas rajadas de cosmo."



"E desta forma, os dois ataques se colidem violentamente, fazendo o lugar tremer-se por completo."




"Uma grande explosão divide o Palácio Valhalla em duas partes."


"Destroços voam por todos os lados."

---------------------------------------------------

"Enquanto isso, do lado de fora do Palácio Valhalla."




"Em frente à estatua de Odin, duas donzelas observam assustadas a explosão logo adiante, no palácio."





- Ele está chegando perto...Rodrigo...não desista...


"Hilda se mostra perdida em seus pensamentos."


'Sigfried, cadê você?'





- Hilda...nós não temos para onde fugir...


"Freya se mostrava desesperada, em pânico."


- Estamos no topo, só existem penhascos ao nosso redor...


"Olhava para os lados, tentando achar uma saída."





- Se acalme Freya...tudo dará certo...


"Hilda envolve-a com um abraço forte e caloroso, acalmando-a."


- Logo virá um guerreiro deus para nos ajudar. Rodrigo não irá perder para o inimigo...


"Freya olha de novo para o palácio em chamas."


'Você consegue.'
-----------------------------------------------------------


"Nesse momento..."




"O Palácio Valhalla se via envolto de chamas."


"O lugar havia sido destruído."


"Será que ambos morreram?"









- Você vai morrer!!!


"Rodrigo surge por cima, surpreendendo seu oponente."


"Com seu cosmo concentrado em suas mãos, o mesmo ataca Utgard à queima roupa."


- Tempestade de Odin!!


"Lança seu ataque derradeiro contra Utgard."




"Porém Utgard reage rápido, e bloqueia o ataque de Rodrigo com sua foice."




- Imbecil!! Não vais me matar com um truque sujo desses!!


"Utgard se mostrava enfurecido!"




'Droga...ele é muito rápido. Como conseguiu se defender tão prontamente diante de um ataque à queima roupa?'


"Rodrigo reflete consigo, surpreso com a perspicácia de Utgard."



- Agora é a minha vez de atacar...


"Utgard libera todo o seu cosmo agressivamente."


"Tudo ao redor começava a tremer novamente. Os destroços são arrastados para longe."





- Então venha com tudo!!


"Rodrigo sai em disparada contra Utgard, se preparando para atacar com todas as suas forças."


- Não irei desistir!!! Vou te derrotar!




- Isso é o que veremos!!! 


"Utgard também avança com tudo contra Rodrigo."




"R.R. libera sua terrível técnica."


"Uma nova colisão de cosmos?"




- Ataque dos Lobos!!!


"Inúmeras rajadas de cosmos avançam contra Utgard."




"Porém para a sua surpresa, Utgard se desvia dos golpes, e chega a dois metros de distância do nosso grande guerreiro."


- Tome isso!! Morra de uma vez!





"Utgard então usa sua foice à queima roupa."




- Uuuuuuurghhhh...não pode ser...


"Rodrigo é atingido em cheio pelo golpe, tendo o seu peitoral dilacerado pela foice de Garm."





- Eu...falhei...aaaaarghhhh...


"Cospe muito sangue, e cai no chão, agonizando."


- Me...perdoem...argh...


"Sangue não parava de jorrar pelos lados."


"Assim, Rodrigo acaba falecendo ali mesmo, após ser atingido mortalmente por Utgard de Garm."


"Mais um guerreiro parte para a outra vida."


"O exército de Hilda está cada vez mais reduzido."




- Agora é só matar Freya e Hilda.


"Utgard vira-se de costas, e se afasta do local."


-----------------------------------------------------------


"Voltando para o lado de fora do palácio, diante da estátua de Odin..."




- Não pode ser...Rodrigo morreu...


"Agora era a vez de Hilda ficar apavorada. Seus olhos enchem-se de desespero."




- Estamos sem saída...o que vamos fazer?


"Freya também fica desesperada. As duas procuram por alguma saída."


"Mas era tudo em vão. Como a mesma havia constatado antes, elas estavam rodeadas de penhasco. Não tinha outro caminho se não voltar pelo Palácio Valhalla, agora destruído, e dar de cara com Utgard."



- Por favor...alguém nos ajude...


"Hilda tenta se comunicar com os guerreiros deuses através de seu cosmo."


- Estou sem forças para lutar...


"Hilda cai de joelhos, enfraquecida. Freya imediatamente acode ela, abraçando-a."


-------------------------------------------------------------------

"Porém...algo está acontecendo nas ruínas do Palácio Valhalla."




- Hmm...você está atrasado...seus amigos já morreram...


"De repente Utgard para de andar, ao se deparar com uma nova silhueta à sua frente."


- Vocês são como ratos, aparecem um atrás do outro...


"Seu cosmo eleva-se agressivamente, seus olhos brilhavam como faísca."



- Guerreiro deus de Mizar...


"Eis que surge Pujol diante de Utgard."


"O que vai acontecer agora?"


----------------------------------------------------------------------------------------
-----------------------------------------
avatar
Aiacos
Berseker
Berseker

Mensagens : 1491
Cosmos : 20009072
Data de inscrição : 03/02/2013
Idade : 26

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Pujol em Qua Set 14, 2016 6:05 pm

Eu estava em meio as ruínas do castelo, cara a cara com Utgard, o homem que matou um bom amigo, naquele momento ele havia feito uma pequena brincadeira comigo, sem pensar em consequências, ele era confiante em suas próprias habilidades, assim como Balder, ele detinha força acima da média, porém era mais fraco que Balder, embora ele não notasse, eu havia derrotado Balder, eu havia passado deste reino para um onde nossas ações decidiriam nosso futuro, embora ainda estivesse um pouco confuso sobre o que havia acontecido em Hellhein, muitas memórias sendo compartilhadas, eu estava seguro de mim mesmo, ou de parte de mim e sabia qual era a próxima parte de meu acordo com Hella, agora era hora de vingar um bom amigo.
 
Utgard de Gran, fantasma de outrora, você fala em ratos, mas estes ratos, como nos chama já acabaram com a maior parte de seu grupo, então me diga, ratos se tornaram os predadores? Ou os predadores se tornaram ratos? Rebati o pequeno deboche de Utgard, relembrando os rumos atuais da guerra.
 
Utgard se coloca em posição ofensiva, me encarando friamente.
 
Você não é um homem de muitas palavras, apenas algumas ameaças vazias? Típico de um lobo solitário... Retrucava um pouco mais a posição que o inimigo demonstrava, porém fui surpreendido rapidamente.
 
Em um impulso rápido Garm me atacou, desferindo rajadas violentas de cosmo energia em minha direção, rapidamente me posicionei e elevando meu cosmo me defendi de seus ataques, os atingindo com rajadas de cosmo.
 
Utgard para por um momento e me questiona.
 
Você não tentou se desviar, apenas rebateu meus ataques, algum motivo especial? Suas palavras eram sem qualquer tipo de emoção, como um cadáver.
 
Cruzei meus braços e dei uma explicação, enquanto encarava o algoz de RR.
 
Utgard, eu conheço essa lâmina, uma presa de lobo capaz de seguir o alvo, até mesmo quando este se desvia... Uma habilidade útil e peculiar, mas nada além, como qualquer coisa ela tem seu preço, estes ataques foram fracos, abaixo do nível que você parece ser capaz de utilizar, então o preço por tal artificio deve ser utilizar parte do seu cosmo para localizar o alvo. Falei com naturalidade, afinal armas mitológicas me fascinavam na realidade onde vivia e ali não era diferente.
 
Utgard não esboçou qualquer reação aparente, além de um pequeno bocejo.
 

Dizem que Balder foi derrotado por um Guerreiro Deus que possuía um conhecimento anormal sobre Asgard, até mesmo de assuntos proibidos, presumo que você derrotou Balder. Mantinha sua calma e frieza, enquanto direcionava seu questionamento.
 
Apenas aceno com a cabeça, confirmando a informação.
 

Se você derrotou Balder então não é qualquer um, porém algo me incomoda em você, eu não consigo sentir seu cheiro, embora você esteja a poucos metros de mim, então acredito que você esteja morto. Falava retirando algumas conclusões sobre a situação.
 
Esboço um sorriso e descruzo os braços, enquanto começo a falar.
 
Você é muito perspicaz, mas não eu não estou morto, mas meu corpo não está aqui, visto que te levarei de volta a Hellhein. demonstrava calma enquanto começava a dar uma explicação.
 
Porém antes de falar qualquer coisa, tudo que havia acontecido antes retorna a minha mente, em um segundo, um flashback instantâneo.
 
 
Flashback
 
 
Há Algum tempo incerto, eu cai no inferno, meu plano era simples, levar Balder a Hella como uma moeda de troca, por quê? Simples, quando cheguei aqui meu senso de curiosidade se atiçou, já havia lido muito sobre a mitologia nórdica na realidade que vivia antes, agora eu tinha acesso a essa fantástica mitologia, eu queria aprender, conhecer e me tornar parte dela.
 
Droga eu consegui. Falei exausto, ao notar que não estava mais no mar, porém em um local ainda mais gelado e repleto de névoa, porém a mesma me consumia, retirando minha energia.
 
Me levantei e comecei a rumar em direção ao grandioso castelo que estava a minha frente, estava mais cansado do que pensava, o picolé que Balder havia se tornado não estava por perto, então eu podia me orgulhar, um humano adentrou um dos reinos mais profundos de Yggdrasil, Hellhein, porém não sabia se minha oferta fora aceita.
 
Um reino de segredos, Hellhein, um reino construído sobre outro, contendo o inverso dos nove reinos, esse é o maior dos reinos e possivelmente onde poderei encontrar muitas respostas ou ao menos conhecer os segredos mais antigos dessa mitologia. Falava me arrastando, conforme chegava mais próximo ao castelo.
 

Droga... Esse lugar está sugando minha vida, será que ela me vê como um inimigo? Falei comigo pouco antes de desmaiar.
 
De um segundo para outro desmaiei, caindo ao chão após passar pelos portões do castelo.
 
Em algum momento recobrei minha consciência, estava dentro do castelo, porém me sentia reprimido por um poder maior, ao olhar ao redor pude notar um grande lobo branco, que me vigiava com uma paciência digna de um imortal.
 
Então agora eu irei me tornar um aperitivo para você, Garm? Falei respeitosamente, enquanto me levantava, o cosmo do lobo era incrível, uma verdadeira besta divina, sequer conseguia queimar meu cosmo enquanto ele reprimia meu espirito apenas com o olhar.

 
Pude notar uma nova presença, não era agressiva, não era bondosa, não era amigável, não era hostil, apenas uma presença visivelmente superior ao lobo Garm, porém não estava me repreendendo, era a mesma presença que havia encontrado em Asgard.
 
Eu estava certo, naquele momento eu pude ver que apenas uma Deusa poderia reviver os mortos, sem trazer o caos, não é mesmo senhora Hella. Falei com um tom respeitoso, embora eufórico, enquanto me curvava perante a Deusa do inferno nórdico.
 
Sem soltar um simples suspiro a Deusa materializa o bloco de gelo, o qual havia transformado Balder, em meio ao salão do palácio.
 
Por um momento o salão dourado repleto de velas se transformou em um castelo de ossos, repleto de possas de sangue, nesse momento Hella me questionou.
 
O que pensavas ao adentrar meu reino, Mizar? Mesmo eu tendo lhe garantido acesso a estrela das sombras, você ainda trouxe um ser deverás problemático a meu reino, o que pensas? Falava apenas querendo ouvir de mim a explicação, ela já sábia tudo, uma vantagem de ser tocada pela vontade suprema e tela usado para construir seu reino era a habilidade de saber tudo o que acontecia nele, sejam pensamentos ou ações.
 
Ainda ajoelhado virei meu rosto em direção a Deusa, os salões eram ainda feitos de ossos e sangue, ela devia estar irritada, ou simplesmente não gostava de receber visitas, pude notar ao ver seu rosto que representava o de um cadáver em putrefação.
 
Senhora Hella, em Asgard você questionou a mim e meu amigo sobre o significado de nossos robs divinos, de onde eu venho há um significado, mas não parece ser o correto, comparando com essa realidade, então só pude pensar em algo, as estrelas gêmeas, ligadas a vida e a morte, então venho aqui lhe trazer um dizimo. Falava visivelmente tenso, nunca tinha sentido presenças tão imponentes quanto naquele local, um erro e eu estaria morto ou pior.
 
Hella mantinha sua expressão, Assim como Garm, porém ela me dirigiu sua palavra.
 
Dízimo você diz, um ser abençoado por meu pai, com runas mágicas, capaz de sobreviver a qualquer ataque de um mortal, esse seria um dízimo realmente? Me questionava sabendo que não era apenas isso.
 
Juntei todas minhas forças, meu cosmo sequer aparecia perante aquelas massas cósmicas imensas, usando minha força me levantei, embora que minhas pernas estivessem estremecidas eu ainda tinha confiança que não ia morrer ali.
 
Não, não é, como disse acredito que minha estrela e a de meu amigo fazem parte de algum pacto, seu e de Odin, apenas assim posso ver alguma lógica no medo que os aldeões tem de avistar a estrela da morte, em outras palavras estamos a seu serviço também. Fui interrompido por ela.
 
Shido, pelo menos é assim que te chamam e você parece ter gostado da troca de identidade, eu não preciso de informações que já tenho, seja direto, desrespeitar o território da morte é algo grave, sem um bom motivo irei te dar como aperitivo a Garm. Falava calmamente, mudando de aparência, bem como o castelo mudava.
 
Havia conseguido um ponto de interesse por parte dela, essa era a minha chance, a única.
 
Serei direto, até demais, quero propor uma barganha com a senhora, antes me deixe explicar o que tenho a oferecer e o que desejo. Ela ascendia à cabeça em forma afirmativa a minha frase.

 
Eu trouxe Balder, um humano que se proclama Deus como presente, parte dessa barganha, a senhora é uma divindade justa, já Balder um ser repulsivo que matou inocentes por prazer, quero lhe dar a chance de punir essa alma antes que ela viva para sempre ao lado de seu pai. Enquanto falava, Garm andava em direção ao bloco de gelo.
 
Por um instante havia me perdido em meus pensamentos, porém retomei logo em seguida.
 
Além dele eu ofereço minha alma em seu serviço senhora Hella, a senhora pode fragmentar ela ou me mandar fazer o que quiser... Mas em troca eu quero acesso a Hellhein e Nifelhein, bem como aos demais reinos, não importa os meios. Acabei por falar tudo de forma abrupta, enquanto Hella me olhava, julgando meus pensamentos e ações.

 
Apenas me diga, o que me impede de tomar sua alma, escravizar ela e atormentar a alma de Balder para sempre? Falava calmamente, enquanto me encarava.
 
Garm destroça o bloco de gelo em um golpe rápido, o lobo branco acabava por libertar Balder, que por sua vez estava desmaiado, aquele momento notei que haviam seres quase inalcançáveis.
 
Nada lhe impediria, esse é seu reino e nele você jamais poderá ser desafiada, tão pouco vencida, eu apenas confio que a Deusa do mundo dos mortos seja justa, afinal a senhora sabe que não possuo qualquer ambição maligna. Falei retornando a posição que mantinha antes, de joelhos, a presença de Hella e Garm acabaram por esgotar minhas forças enquanto tentava me manter de pé.
 
Hella olhava para mim calmamente, porém com um olhar sombrio.
 
Quero ouvir de suas palavras, de sua boca, quais são suas ambições ao querer conhecer todos os reinos, caso eu lhe consentisse isto. Sua entonação não mudará, porém agora ela exercia seu cosmo sobre o local.
 
No momento que notei estava flutuando, Ela usando seu cosmo para manipular meu corpo, enquanto Garm começava a devorar Balder.
 
Conhecimento, eu apenas busco conhecimento e experiência. Falava, quase berrando, sentindo o cosmo de Hella pressionando meu corpo.
 
Sem esboçar reação ela me respondeu.
 
Conhecimento... Isso trará poder, experiência lhe mudará, com isso você poderia se tornar um inimigo, então me diga por que eu deveria lhe conceder essa dádiva.
 
Eu não me importo com o poder, apenas quero conhecer, ver, ouvir e sentir tudo que a mitologia nórdica possuí por mim mesmo, se a senhora quiser uma salvaguarda, façamos um contrato, eu lhe dou minha alma também, te garantindo que nunca me voltarei contra a senhora e que cumprirei suas ordens, mesmo que eu consiga qualquer poder. Falei aos berros, meu corpo estava realmente sendo partido por ela.
 
Logo caio ao chão, sem forças para me reerguer, Garm havia parado de me encarar, já Hella havia sumido de seu trono.
 
“Eu devo ter feito alguma idiotice, agora tenho certeza que vou morrer.” Pensei, tendo um destino certo, porém estava feliz, eu conheci algo novo dessa mitologia que tanto adoro, eu vivi parte dela, estava satisfeito, embora soubesse que havia muito mais que poderia saber.
 
Não se preocupe, você não vai morrer, eu vou aceitar seu contrato... Hella havia aparecido por detrás de mim, me segurando em seus braços facilmente, ela deu um pequeno beijo em minha testa, me fazendo dormir, um sono realmente pesado.
 
Alguns momentos depois acordei em frente a um grande cristal, estava confuso, minha mente embaralhada, ao ver o cristal pude notar que meu corpo estava lá dentro.
 
O que aconteceu? Perguntei rapidamente a mim mesmo, estava confuso e muito.
 
Você não tem a resposta? Então lhe contarei, eu te marquei para morte, seu corpo está em um estado de não vida, preservado naquele cristal, essa é uma das formas de realizar o contrato, vincular sua vida a meus domínios. Falava calmamente.
 
Eu fico paralisado, embora eufórico, entendendo o que era a crendice popular de um beijo marcar a morte de alguém.
 
Bem, agora vou lhe explicar o nosso acordo... Eu fragmentei sua alma em três, interligadas entre si, ou seja, seu poder é compartilhado entre os três, sendo assim quando eu fragmentei sua alma, cada fragmento tinha um terço de sua força, mas compartilhavam todos os mesmos pensamentos. Falava calmamente.
 
Eu rapidamente queimei meu cosmo, bem como sentia que estava conhecendo mais e mais lugares de Hellhein, porém não senti meu poder reduzido, Hella notou meu estado catatônico.
 
Você é o segundo fragmento, o outro já teve suas ordens, você o está sentindo com mais intensidade, afinal ele esta lutando, abrindo caminho por Hellhein, querendo desbravar o reino, pode parecer confuso para você, mas em Hellhein o fluxo do tempo é mais rápido do que em midgard ou que qualquer reino, enquanto lá se passam minutos, em meus domínios se passam semanas, com exceção desse castelo. Ela falava normalmente, mas eu ainda não conseguia esboçar qualquer reação.
 
Então o motivo que eu sinto que meu cosmo está normal é por que um dos fragmentos de minha alma está lutando há semanas, em seu reino... Ainda estou confuso demais para entender tudo... Porem o que entendo é que meu corpo serve de ancora para meu espirito, então eu estou realmente vinculado ao castelo... Falei rapidamente, como se já tivesse tido essa conversa, até mesmo tinha as memórias dessa conversa.
 
Caminhei um pouco de um lado para o outro, colocando minha cabeça em ordem, por alguns minutos.
 
Senhora Hella, então eu sou o segundo fragmento, posso sentir minha força aumentar aos poucos, devido ao que enfrento em Hellhein, sinto também as experiências e conhecimentos que adquiro lá, me lembro de nosso contrato, por favor, quais são suas ordens. Falava me ajoelhando perante a Deusa em sinal de respeito.
 
Ela emite um pequeno sorriso, e ordena enquanto me transporta para midgard.
 
Proteja a representante de Odin da alma bastarda que escapou de meu reino e o puna por difamar o nome de Garm. Falava em tom alto e claro, uma ordem direta que deveria ser seguida.
 
Fim do Flashback
 
Tudo que havia acontecido passava pela minha mente, um terceiro link em minha mente surge, o terceiro fragmento de minha alma recebeu suas ordens.
 
“Que ordens de merda, Matar esse filho da puta e cuidar do pesteado, Pedro, a segunda vai ser mais difícil, porém consegui ter acesso a todos reinos.” Pensei calmamente nas ordens de cada parte minha.
 
Voltei-me rapidamente para Utgard.
 
Um resumo rápido é que realizei uma barganha com Hella, e ela quer uma certa alma fujona de volta. Falei de modo sínico com Utgard, demonstrando uma onyx negra que estava no lugar de minha safira de Odin.


Segunda parte:


Utgard fica perplexo ao escutar minhas palavras, ele se lembrava de sua fuga de Hellhein e quão tortuosa seria a pena por ter escapado dela, porém estava mais perplexo em como um Guerreiro Deus pode chegar lá e fazer um acordo com Hella.

 
Um peão de Hella? Isto está ficando interessante, Mizar, mas me diga como poderá me derrotar? Atualmente sou o Guerreiro Deus mais poderoso de Asgard! Falava com certa histeria no final.
 
Em um momento avanço na direção do mesmo, Utgard quase não nota minha movimentação, mesmo sendo espalhafatoso com passos extremamente barulhentos, querendo ser notado, desfiro rapidamente um golpe em meio ao estômago de Utgard com o punho direito e um chute alto arremessando ele para trás.

 
Acabo de encontrar um equivoco em sua afirmação, lobo velho... Eu derrotei o primeiro de seu time, tomei o controle completo do meu corpo, pude conter balder e agora caminho tanto em midgard como em hellheim, sua força não se compara a minha, quanto mais a dos demais guerreiros Deuses principais. Falava com franqueza, mesmo estando entre os mais poderosos, sabia que quase todos poderiam derrotar aquele lobo velho.
 
Em um movimento rápido Utgard revida e ataca com todo seu poder, desferindo golpes atrás de golpes de sua arma magica.

 
Não fale asneiras, Eu estava um pouco abaixo de Balder, que era um Deus, não há como vocês serem mais fortes do que eu, agora deixem Asgard para aqueles que realmente iram proteger essa terra. Falava com confiança.
 
Os ataques de Utgard estavam mais fortes e rápidos, o brilho da safira em seu peito evidenciava isso, porém fora fácil me desviar dos ataques, até me lembrar que os ataques daquela presa seguiam o alvo, rapidamente me virei na direção dos golpes e os parei com uma mão.
 
Arranhar o sétimo sentido não é o suficiente para vencer essa guerra, quanto mais depender de uma bengala, como essa presa de lobo. Mantinha um tom cínico em relação a Utgard.
 
Com um movimento rápido e poderoso desfaço os golpes que estava segurando com a mão esquerda, logo volto a dar atenção completa a Utgard.
 
Balder não era um Deus e você não estava só um pouco abaixo dele, serei bem sincero alma penada, a diferença entre vocês era gritante, mas não se preocupe nem tudo é tão ruim, irei te amaciar um pouco pelo que fez a meus amigos, quando chegar lá embaixo vai preferir ser cuidado por Garm, do que me ter como carcereiro. Falava enquanto caminhava na direção de Utgard, pude notar um cosmo se aproximar do castelo, era o momento de acabar com essa briga de pirralhos antes que envolvesse mais gente.
 
Utgard levantou sua presa para o alto, enquanto emanava seu cosmo com uma intensidade gigantesca, provavelmente ele estava intimidado, pelo que acontecia aqui e ao redor, afinal foi possível notar o cosmo de Odin ressurgir e desaparecer, bem como a tensão que existia em Musphelhein.
 
Não me importa o que você diz ou o que acontece, nós ganharemos essa guerra, ainda mais agora que Odin fez o que fez, morra Mizar, Lobos da Alucinação.
 
O Palácio estava repleto de trevas, apenas olhos vermelhos e pelos brancos eram vistos nas trevas, além de um relance da espada de Utgard.
 
Que bela vista Utgard, mas recriar um pedaço de Nifelheim, utilizando tanto cosmo não me assusta, tão pouco esses filhotes fajutos que chamas de matilha. Estava sendo franco até demais, aquilo tudo era muito monótono.
 
Comecei a caminhar em direção a Utgard, caminhava devagar, enquanto concentrava meu cosmo em meu punho direito, os grandes lobos avançaram contra mim seguindo o grande grito de guerra de Utgard.
 
Pare de brincadeiras, Garras do Tigre das Sombras! Desferia meu golpe sobre os lobos e o próprio Utgard.
 
A matilha rapidamente se dissipou, perfurados, como qualquer ataque que foi superado, já Utgard recebia o peso de minhas garras sobre sua armadura e principalmente aquela espada amaldiçoada.
 
Impossível... Falava um Utgard Atordoado, com sua espada parcialmente congelada, enquanto sua armadura estava em frangalhos.

 

Arranquei Dainself das mãos de Utgard, enquanto ele olhava assustado para mim, em um movimento rápido termino de congelar a lâmina e desfiro um golpe sobre a mesma, destruindo a mesma para sempre.
 
Utgard olha a cena com receio, porém logo uma pequena lágrima escorre de seu rosto e o mesmo solta uma pequena pergunta.
 
O que você fez ao tesouro de minha família? Questionava ainda incrédulo sobre o que havia acontecido, bem como contendo a raiva que queimava em seu peito, porém era facilmente perceptível que a safira dele estava brilhando ainda mais.

 

Olhei para Utgard e decidi explicar um pouco mais sobre aquela espada, falar coisas que ele sequer sabia.
 
Serei sincero, uma espada amaldiçoada, feita por anões com materiais de Hellhein teria usos melhores do que apenas seguir o alvo, como uma presa de lobo, mas meu trabalho é facilitar a vitória das forças de Odin, então essa espada que poderia disseminar doenças mortais ao simples toque está destruída, ao pó, dessa forma sua herança maldita não passa de poeira, inofensiva e que poderá ser despejada em qualquer lixeira. Meu tom cínico irritava Utgard ainda mais do que ele já estava.

 
Rapidamente noto uma diferença no cosmo de Utgard, raiva e trevas, mais do que as que já existiam.
 
Que merda é essa... Falo sendo interrompido por um golpe rápido de Utgard.
 
Logo fui arremessado para trás, voltando os olhos rapidamente para Utgard pude notar que sua safira estava queimando como fogo, emanando uma aura que envolvia todo o corpo de Utgard, Logo me levanto e o encaro.
 
Sacrificar a alma, abandonar toda a noção de dor,  desejo, bem estar e de qualquer sensação em troca de poder, suficiente para fazer um qualquer ter a força de um guerreiro Deus... Ele virou um berserker, uma arma de guerra, um guerreiro louco a mando de Loki, se a lenda for correta ele não deve passar de uma carcaça sob o comando de Loki. Falava analisando a situação.
 

Utgard logo me ataca, sua velocidade havia aumentado e muito, seu poder também, mas o cosmo não era dele, então deveria haver pontos fracos nessa situação.

 

Rapidamente começo a me esquivar dos ataques de Utgard, que agora eram um perigo real, não mais simples rajadas de um espírito velho e ranzinza, mas sim uma arma nas mãos de um Deus brilhante.
 
“Agora tudo se complica, o cosmo que ele emana está acima do nível do que Balder manejava, mas ele não havia se tornado um louco, será uma luta deveras divertida.” Pensava enquanto abria um sorriso.
 
Utgard avança sobre mim, rapidamente desfiro vários ataques com minhas garras, perfurando o corpo do mesmo, porém como uma locomotiva ele se aproxima e me golpeia com força suficiente para me arremessar para fora do Palácio Valhalla.


Última edição por Pujol em Qua Out 05, 2016 4:04 pm, editado 2 vez(es)
avatar
Pujol
CEO Empalador
CEO Empalador

Mensagens : 1249
Cosmos : 20006067
Data de inscrição : 16/02/2013
Idade : 25
Localização : 4ª Esfera: Giudecca

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Hunter em Seg Set 19, 2016 8:55 pm

"Fornjót fica frente a frente de Hunter"

-Hahahaha.Como Ousa lixo asgardiano? Achou mesmo que essa brisa iria me derrotar? hihiehehahahaha "Provoca o gicante"

"Não era apenas FornJót que escapava do golpe congelante de Hunter.O jovem guerreiro começava a ouvir o estalar de gelo em algumas direções.Gigantes menores aos que o abordaram se libertavam de suas prisões de gelo."

-Serio,qual o problema de vocês? "Diz em tom de deboche"

"FornJót portava uma enorme espada em sua mão direita.Com uma extrema agilidade o gigante corta o ar e tenta atingir um golpe no guerreiro deus,que desvia com certa dificuldade e o golpe atinge o chão,o impacto foi forte o suficiente para abrir uma grande cratera e causar tremor no local"


Droga não bastava a desvantagem do tamanho,agora isso..."Pensa o guerreiro"

"Claramente aquele não foi um golpe qualquer,uma poderosa rajada de fogo acompanhou o corte de espada.Aparentemente o lugar parecia ter ficado mais quente,lavas ao redor começavam a se agitar,labaredas de fogo começavam a surgir por toda parte."

-Você não ira nos derrotar tão facilmente "Alguns dos gigantes descongelados,tenta aproveitar a pressão que Fornjot pos em Hunter"

"Os Gigantes sem cordenação alguma partem pra cima do guerreiro deus,que acaba por desviar facilmente.Os gigantes ja não transmitia risco algum para Hunter"

-Teria sido melhor vocês continuarem congelados...Agora serão currados violentamente! "Hunter se movimentava rapidamente,a cada novo movimento critais de gelo tomava seu lugar como uma sombra prateada.Aquela era a velocidade da luz.Poderia ser a velocidade da luz?"

Restou cinco buchas alem daquele Forjot.Meu proximo movimento vai determinar a minha chance nessa luta.Tenho que acabar rapidamente com os menores e depois lidar com o chefão..."Hunter analisava a situação enquanto trocava golpes em meio aos gigantes de menor escalão"

Espera...Chefão?...É isso! Tenho que lidar com essa situação como lidei com aquele Boss de DS...."Aparentemente chegava em uma solução"

"Hunter se afasta momentaneamente dos gigantes e parte em disparada a Fornjót,que diante tal investida do guerreiro tenta atingilo com sua gigante espada,não obtendo sucesso."

Ele é bem lento...Isso pode me favorecer


-Hey Mongoloides,vou dar uma chance a vocês! "Fala Hunter"

"E assim a torrente de golpes é pausada.O campo de batalha fica estatico,todas as atenções são voltadas a Hunter"

-Chance? Do que esta falando? "Indaga Fornjót confusamente"

-É isso ai.Nesse não vejo chances de perder em uma luta contra você..Tenho uma tecnica secreta que sera fatal contra vocês! "Fala esnobemente"

-Hahahahaha...Me derrotar? com esse seu soprinho gelado não ira me causar nada alem de um calafrio..HAHAHAHAA "exclama o gigante causando uma sequencia de risada do seus subordinados"

-É isso mesmo meu amigo chifrudo...Belzeboos..Ou seja la como você se chama....Minha tecnica secreta ira definir o rumo da batalha,me permitindo a vitoria- "Hunter da uma leve tossida" -Na verdade estou com um pouco de pressa, e se possivel gostaria que você poupasse meu tempo e me deixa-se passar.Você não apanha,eu não me atraso,todo mundo ganha certo?


-NÃO IREI TOLERAR MAIS NENHUMA PALAVRA INFAME VINDA DE VOCÊ LIXO MORTAL CONSIDERE-SE MORTO! "FORNJOT esbravejava de tal maneira que Hunter teve a impressão de sentir o chão tremer" -MATEM ESSE VERME!!!


"Fornjot da um forte pisão no chão provocando um tremor no chão,tremor capaz de desequilibrar levemente Hunter,que é cercado novamente pelos gigantes"

-Olha caras eu avisei..Vocês estão me deixando profundamente chateado.Alem de estar em uma das sagas que mais detesto de cdz estou como o filler do filler........Enfim vocês não me deixam escolha!


"Hunter mergulhava novamente em sua incrivel concentração,elevando intesamente seu cosmo quando para de repente..."

-Pera,pera,pera -"Os gigantes confusos param eram claramente tão racionais quanto um animal" -Ja sei,irei mostrar minha tecnica secreta.Porem antes preciso saber se alguem aqui é menor de idade?


"Os gigantes continuam confusos olhando para Hunter"

-Por falar nisso,como os gigantes se reproduzem? existem femeas? ou vocês são iguais aos namekuseijeans? "Hunter solta uma gargalhada sem motivos algum e os gigantes continuam apenas olhando" -A serio qual é? tabom beleza..Tinha mais graça na minha cabeça...Ou eu falei errado...Não pera,não era isso..."Falava consigo mesmo de modo meio descordenado"

"Fornjot retomava com seus golpes,mesmo com uma distancia consideravel a lamina ardente da sua espada ainda poderia ser fatal a Hunter que começa a se mover"

-Ok,Ok esta na hora....Todo mundo preparado? "Falava enquanto desviava das investidas de Fornjot e trocava socos com uns gigantes"

-Não ouvi...Todo mundo preparado? "Só se ouvia urros de odio e o som da enorme espada de Fornjot cortando o ar" - Aff,cade a animação pessoal?

-Então chega,primeiro vai você- "Hunter solidifica uma enorme estaca de gelo e atinge o peito do gigante,que cai imediatamente.Ele então retira a estaca com sua mão esquerda" -Depois você....- "com a mão direita cria outra estaca e atinge outro gigante,repetindo o processo,agora ele esta com uma estaca em cada mão" -Opa,Opa pera ae-"Desvia de um perigoso ataque do terceiro gigante,acertando o quarto em sequencia"-E agora.."Retorna para o terceiro gigante que o tentou acertar e o atinge pelas costas,sem chances de reação" -Finish him  "Debochava o guerreiro"

-Droga perderam o granfinale...Que pena"Hunter dava pequenos tapas em seu ombro"



-Bom,agora é hora do Hack!!


-Irei te resetar!!!

avatar
Hunter
Falhador
Falhador

Mensagens : 629
Cosmos : 10007942
Data de inscrição : 27/12/2012
Idade : 22
Localização : Desconhecido

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Hypnos em Sab Set 24, 2016 1:27 am

Post 3 de 4

Todos os demais Guerreiros deuses sobreviventes, sentem o cosmo de Siegfried desaparecer bem como o brilho da estrela Alpha. Neste mesmo instante, as 7 Safiras de Odin começam a emanar um poderoso brilho, bem como entram em ressonância.

Enquanto isso em Muspelhein, após ter sido impiedosamente massacrado por Sinmara, o corpo de Siegfried jazia ainda no mesmo lugar, quando Surtr se aproxima para atira-lo na lava incandecente, uma poderosa cosmo energia toma conta do lugar, envolvendo Siegfried.

Surtr: Mas que diabos?!? De onde vem essa monstruosa cosmo energia que cercou esse lugar??

- Será Siegfried? - Surtr olha para Siegfriedde relance -

Surtr: Não, não é Siegfried....esse miserável derrotado e está morto! De modo algum essa cosmo energia é dele, é muitas vezes superior

Porém aquele cosmo permanecia, aumentando constantemente e emanando uma energia triste, o corpo de Siegfried começa a levitar no ar, e os danos em seu corpo são envoltos em uma aura dourada.

Sinmara: Amor, o que é isso....será que esse reles humano por acaso...

Surtr: Não....não é ele...é alguém muito superior, esse cosmo....esse cosmo.....

- Odin!!! - falava surpreso, com os olhos esbugalhados -

Tão logo as palavras de Surtr ecoavam pelo ar, aquele cosmo, assumia uma forma, que nitidamente revelava-se se tratar de Odin



Odin:Meu caro Siegfried, eu lamento muito que tenha que ter passado por tudo isso....



Odin estende sua mão sobre o rosto de Siegfried, e de sua palma caem sobre o corpo, algo que lembra muito ouro em seu estado liquido.

Surtr: Mas o que está acontecendo aqui?? Odin....não vou permitir que invada meu reino e faça o que quiser.....seu maldito!!!

Sinmara: Mate-o meu amor, vamos destrua-o, ou eu o farei!!

Surtr e Sinmara avançam loucamente contra Odin, queimando seus cosmos juntos, os dois disparam diversos ataques de pura energia contra Odin, tamanha era a violência de seus ataques, que seus golpes iam destruindo tudo ao redor, inclusive o Palácio das Almas.



Odin: Agora fiquem quietos aí - O poderoso deus nórdico, dispara um feixe de cosmo, que lança Surtr e Sinmara vários e vários metros para trás -


Odin coloca o corpo de Siegfried no chão, e põe-se a observar o mesmo. Um estranho brilho dourado começa a emanar do Guerreiro deus; Os diversos danos pelo corpo do mesmo, começam a desaparecer, deixando o corpo como se nunca os tivesse recebido. No local onde tivera seu braço decepado, a aura dourada assumia a forma de seu braço, e ia revelando o novo membro no lugar. Bem como as graves queimaduras, igualmente desapareciam, deixando no lugar uma pele lisa feito de bebe.

Odin então direcionava seu cosmo para Siegfried, buscava falar com o Guerreiro deus se projetando em sua mente.



Odin: Olá meu caro Guerreiro deus, há muito queria ter a oportunidade de conversar com você.....

As Safiras de Odin, em rápido relance desaparecem das robes divinas onde estavam, aparecendo no céu agora noturno, cada qual migrando para sua estrela de origem.

Alberich: Não, não posso acreditar no que meus olhos veem!! As Safiras de Odin que agora pouco emanavam um poderoso brilho, surgem no céu em direção a Ursa Maior.....

Alberich para por uns instantes e começa a buscar um pensamento de algo similar que já vira acontecer em Saint Seiya.

Alberich: Eu sei que já vi essa porra acontecer....sim....foi em Cavaleiros do Zodíaco, pouco antes do Seiya.....

- Será que.....Odin pretende usar sua armadura??

Siegfried escuta a voz de Odin em sua mente, e então percebe que jazia de pé ao lado do deus nórdico em uma das sacadas de um grandioso palácio. Em um primeiro momento pensou se tratar do Palácio Vallhala, mas logo percebera que se tratava do palácio de Odin.

Siegfried: Mas como é possível? Eu achei que tivesse morrido na luta contra Surtr...aliás pífia luta, falhei miseravelmente....

Odin: Não deves dizer isso Siegfried, lutou maravilhosamente bem em Muspelhein, superou as limitações do seu cosmo e mesmo que por alguns instantes o tornou tão grandioso quanto o meu, e isso para um humano é um feito e tanto.

Siegfried sorria levemente diante de tais palavras, sentia-se reconfortado de certa maneira, ao perceber que seu esforço não fora em vão e que finalmente havia feito alguma coisa que prestava na vida.

Siegfried: Fico feliz que tenha gostado do meu feito nobre Odin! Tentei defender Asgard e a Terra....aliás... - Pensava, olhando ao redor, e erguendo seu braço que fora decepado anteriormente, e agora estava de volta -

- Eu não estou morto, estou?

Odin: Não estás Siegfried, você lutou bravamente levando seu corpo físico a ruína, e mesmo assim o sustentou com a grandiosidade do seu cosmo, se não fosse isso, teria virado poeira cósmica em um instante. Mas.....

- Sinmara, esposa de Surtr o golpeou covardemente por trás, e infelizmente esse golpe o levou a morte.

Siegfried: Então....

Odin: Contudo.... - Odin rapidamente interrompia Siegfried, de tal forma que o chamara a atenção -

Odin: Eu usei um último recurso e trouxe você novamente a vida, mas este ato me trouxe a ira dos demais deuses....não devemos ressuscitar humanos, foi parte de um pacto firmado há eras atrás. Sei que irei receber uma punição, mas devo aceitar o preço de minha decisão.

Siegfried: Decisão? Como assim??

Odin: Siegfried tenho um presente para você, receba-o por favor

O cosmo de Odin que tomara conta do lugar, aumenta ainda mais, criando uma barreira que impede Surtr e Sinmara de avançarem, os repelindo violentamente para trás. O corpo de Siegfried é tomado pelo incomensurável cosmo de Odin, e nos céus vermelhos de Muspelhein, um forte brilho emana.

Siegfried: Não pode ser.... - assustava-se com o que via -

- É a armadura de Odin....a mesma que Odin usou nos tempos mitológicos......

Odin: Isso mesmo! Sua lealdade e determinação em proteger Asgard e meus interesses me comoveram. Diferente dos seus amigos, você é o unico que aprovou o que fiz em traze-los para cá.

Siegfried: Hahahaha não me leve a mal nobre Odin, eu gostei sim, devo confessar. Meus dias aqui são 3x mais interessantes que em minha vida ordinária e cinzenta. E o melhor de tudo aqui eu tenho a...

Odin: Hilda!

Siegfried corava

Odin: Naturalmente eu sei sobre vocês dois, e sei que foi quem você é por dentro Siegfried ou devo dizer Manigold que conquistou o coração de Hilda. Siegfried nunca conseguiu ir muito além.

Siegfried: Sim...e eu, não ligo se nunca mais voltar. Tenho a Hilda, quero ficar ao lado dela e proteger Asgard. Sinto que isso é o certo a ser feito. E vou faze-lo

Neste momento a armadura de Odin, brilha fortemente e monta-se sobre o corpo de Siegfried, revelando uma suntuosa capa e a espada Balmung em sua mão direita.

Siegfried: O que?? A Armadura de Odin está comigo??

Odin: Siegfried escute com atenção! Estou lhe passando minha armadura, para que derrote o mal em Asgard e nos nove reinos. Destrua Surtr e sua famigerada esposa e derrote Loki. Esta armadura lhe permitirá usar o 9 sentido plenamente, sem fatigar seu corpo. Sei que conseguirá trazer a tona um poder gigantesco, ainda mais que....

Siegfried: Hmn??

Odin: Tens meu sangue correndo em suas veias, creio que isto lhe dará a vantagem sobre seus oponentes que tanto precisa. O resto sinto dizer, terá que descobrir por si só. Mas és capacitado e sei que conseguirá.

- Agora vá, destrua Surtr e Sinmara e parta para Asgard, Hilda corre perigo. Não perca mais tempo Siegfried, não hesite, não se detenha. Lute com tudo! Chega de se conter.

Após dizer essas palavras o cosmo de Odin começa a desaparecer, e a barreira a sumir. Siegfried sente que o poderoso deus nórdico estava se distanciando, parecia que estava partindo para algum lugar.

Siegfried: Odin, espere...eu... - Não consigo mais sentir o cosmo de Odin.....pensava -

- com certeza.....ele parece ter sido tragado para algum lugar.... pensava -

Siegfried: Mas não vou me preocupar com isto agora, tenho lixo para recolher. Depois que acabar com vocês dois, pensarei a respeito do que houve com Odin.

Surtr: Maldito humano.....só porque voltou a vida, não quer dizer que poderá nos vencer.....iremos aniquila-lo novamente!! E dessa vez para sempre!!!

Siegfried: Ah é mesmo? Quero ver vocês tentarem!! - Começa a emana um cosmo gigante, que logo faz Surtr recuar -

Surtr: Esse cosmo não é o mesmo que antes.... - suando -

- Esse garoto tem o cosmo tão imenso quanto o de Odin....como pode ser???

_________________
avatar
Hypnos
Fundador sonolento
Fundador sonolento

Mensagens : 2096
Cosmos : 1006008
Data de inscrição : 20/12/2012

Ver perfil do usuário http://coronas.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Jogo 01 - Saga de Asgard - A Ameaça Fantasma a Asgard

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 4 de 4 Anterior  1, 2, 3, 4

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum